INSÔÔNIA.com
Aconteceu Comigo #20
out
29
2012

Um belo dia, estava eu de boa tomando uma cervejinha (numa quarta feira) no boteco, quando encontro com meu amigo Zeca. Ele se sentou para tomar uma comigo e conversa vai conversa vem ele me disse que estava namorando uma garota de Belo Horizonte, que havia conhecido pela net (Orkut na época).

Muito animado com o namoro, o Zeca acabou me convidando para ir visitá-la. Ele não queria ir sozinho e insistiu para eu ir junto. Na hora pensei “oba, BH é tudibão e deve ter altas festinhas”, mas infelizmente a história não foi como eu imaginava.

Na semana que decidimos ir viajar, o Zeca me informou que sua namorada estava numa cidadezinha de Minas, próximo de Ubá, não me lembro mais o nome daquela cidade dos inferno. Como já havia prometido que ia, eu disse tudo bem, mesmo chateado de não estar indo mais para BH. O Zeca não sabia onde ficava esta cidade, e eu também não,  mas como somos bons amigos (e quando um se fode arrasta o outro junto), arriscamos.

Depois de tudo certo, pegamos um ônibus numa sexta-feira, logo pela manhã. O maldito havia me dito que eram no máximo 3 horas de viagem, mas acreditem, passamos quase o dia todo dentro do ônibus. Uma viagem super cansativa e entediante.

Depois da longa viagem, finalmente chegamos. A cidade parecia mais uma roça. Só tinha uma rua, uma igreja, um buteco e umas casinhas. Mais nada. Essa hora eu já estava querendo morrer. Nada de “altas festinhas”.

A mina estava esperando a gente na rodoviaria, e o pior vocês não sabem, o Zeca me contou neste momento que só conhecia ela pela internet e que nunca tinha visto-a pessoalmente. Cara, minha vontade era entortar o pescoço dele. O fdp tinha dito que estava namorando…

Respirei fundo e pensei…”Já estamos aqui mesmo, tá no poço agora abraça a Samara” e seguimos em frente. Descemos do ônibus, encontramos com a namoradinha virtual do Zeca, conversamos um pouco e fomos para a cidade procurar um lugar para ficarmos.

Alugamos uma pensão que ficava ao lado da igreja (maldita ideia, acordávamos com o barulho dos sinos arrebentando nossos tímpanos), a pensão tinha apenas um quarto com duas camas de solteiro, o quarto era tão pequeno que se eu virasse para o lado com o braço aberto eu abraçava o Zeca.

Na mesma noite em que chegamos, fomos para o boteco tomar umas. Angustiado com a cidade e o fato de estar segurando vela, acabei exagerando na bebida. Lá pelas 2 da manhã, já embriagado e sentindo que ia vomitar, resolvir ir para a pensão. O Zeca ficou lá no bar com a namorada.

Antes de sair no bar, o Zeca me pediu pra deixar a porta da pensão aberta, para ele poder entrar quando chegasse. Só que eu estava bêbado e passando mal, cheguei na pensão vomitando horrores, pelo quarto todo. Acabei trancando a porta e não ouvi o Zeca gritar quando ele chegou. Resultado, ele só conseguiu entrar na pensão às 8 da manhã, quando o dono chegou para abrir aquela espelunca. kkkkkkkkkk

Na noite seguinte, fomos num baile, sabe aqueles bailes de cidade do interior? Então, esses mesmos…

Curtindo o baile, não avistava nenhuma gatinha, a coisa estava feia, até que uma hora leves dedos encostam em meus ombros e uma voz suave disse:

-Hey gatinho,você está sozinho?

Velho! Velho!! Era a pintura de satanás!!! Ela abriu um sorriso e não tinha os dois atacantes… putz, nem sei como ainda conseguir ser educado, disse a ela que não e que estava alí apenas para curtir, não queria ficar com ninguém (quase não dormi aquela noite pensando “naquilo”). Depois dessa fomos embora.

No dia seguinte, o Zeca não fazia outra coisa a não ser rir da minha desgraça. Filho da mãe, não sabe o arrependimento que eu estava de ter viajado com ele. A sorte é que era o nosso último dia alí. Iríamos embora à noite (era domingo).

Fomos curtir um churrasquinho a tarde. Últimas horas para o Zeca aproveitar com a namorada. O tempo foi passando e beleza, sem preocupação, até que olhei no relógio e disse:

– Caraca Zeca, são 5 horas da tarde, vambora senão a gente vai perder o ônibus.

Saímos correndo como loucos para a pensão, chegando la…surpresaaaaa! O dono da pensão havia saído e ficamos presos do lado de fora, mas por um milagre lembrei que a janela havia ficado aberta, pronto, entramos e fomos arrumar nossas coisas. Uns 5 minutos depois o dono da pensão (que era gay e velho) chegou.

Momento desespero: Fomos verificar quanto de dinheiro tínhamos, e para nosso desespero, não tinha dinheiro para ir embora e nem o suficiente para pagar as 3 diárias do cafôfo. Não sabíamos o que fazer, até que o Zeca resolveu ser cara de pau e pediu dinheiro emprestado para a namorada dele (ela era cheia da grana). Para nossa alegria ela emprestouuuu!!

Muito felizes pegamos nosso ônibus e fomos embora. Quando chegamos em Ubá o cara do guichê informou que só teria ônibus para nossa cidade no dia seguinte, logo pensamos, fudeu!!

Saímos para procurar um hotel que cobrasse no máximo 30 reais (era o que tínhamos para gastar fora a passagem). Já estava ficando tarde e a gente procurou vários hotéis, pousadas, pensões e nada. O dinheiro não dava. Resultado: Ficamos num motel. Um lugar bizarro e tenebroso.

Quando chegamos nesse motel, tinha um povo parado em frente e uma viatura de polícia, achamos meio estranho mas era o que o dinheiro dava para pagar. Fechamos um quarto com duas camas (foi 20 reais) e queríamos TV, o que nos custou mais 5 reais, sobrou 5, compramos um refrigerante de 2 litros.

Quando estávamos subindo as escadas, a policia vinha descendo com um caixão, isso mesmo “um caixão!!”

Vou explicar: Um senhor havia infartado uns minutos antes, ele estava no quarto com uma garota de 40 anos mais jovem (se é que vocês me entendem…)

Ai velho, bateu o desespero, o quarto que pegamos era no mesmo andar do quarto do velho que bateu com as botas.

Chegando no quarto, o quarto era tão ruim que não dava para defecar sem o outro assistir, o banheiro era aberto de frente pras 2 camas, e a televisão não pegava canal nenhum, coisa que o Zeca resolveu em um instante com um garfo, ele amassou um garfo e colocou atrás, aí a globo pegou embaçada e sem cor mas pegou (nós pagamos pela TV, foram 5 Reau!!!!).

Depois de deitado eu pensei: “Pior que tá não fica”, bom, engano meu.

No quarto ao lado uma senhorita nada discreta começou a gemer bem alto, a coisa estava boa alí, e eu, fim de semana todo sem nada, só segurando vela, não conseguia dormir, era barulho de gemidos, cama batendo, socando na parede, estava pegando fogo no quarto do lado.Eu excitado e meu amigo na cama ao lado. Puta merda.

Só consegui dormir às 4 da manhã, quando a putaria do lado acabou. Como sou muito curioso, olhei pela janela para ver se a moça que ia sair era pelo menos bonita, e acredite, saiu a moça e dois caras do quarto (foi um bacanal véi).

Consegui dormir um pouquinho, acordamos e fomos embora. Dalí pra frente nada mais aconteceu (ainda bem) e finalmente cheguei na minha cidade.

Essa foi a história do pior final de semana da minha vida. O Zeca nunca mais viu a mina de BH. Bem, mesmo se quisesse ver, a minha companhia ele nunca mais terá.

 

ENVIE SUA HISTÓRIA: [email protected]
ENVIE SUA HISTÓRIA: [email protected]
anuncie

Blizhost hospedagem de sites
Para comentar você tem que estar logado no facebook. Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade sua.

Deixe seu Comentário