INSÔÔNIA.com
O melhor jogo online
nov
20
2017

Aconteceu Comigo

Pois é amigos, do insoonia, sabe aquele boy que é do mesmo condomínio, todo perfeitinho pra você, que as vezes você tem dúvida se é do babado ou não?

Passei dois meses num crush danado por um, ele passava e eu piscava.
Todo dia a noite era o mesmo ritual… Eu descia pra fumar meu Hollywood azul, sentado no banquinho do play e ele passava. Perfume mara (que depois eu descobri que se chama Creed), sempre de chinelo e uma bermudinha sexy ou calça de moletom (que particularmente eu amo), pernas grossas, as vezes fazia o joinha pra mim, as vezes não…

Eu ficava fazendo a tímida, mas muito curiosa sim! Os dias foram passando, eu meio que estava depressivo por muitos fatores, cheguei a tomar remédio e a fumar desesperadamente, totalmente descompensado emocionalmente… Daí depois de um tempo nesse impasse, eu já queria me insinuar, se pudesse ficava de cueca no playground pra ver qual a reação dele. Uma noite, pensando nos meus problemas, liguei pra minha mãe e xinguei o mundo…. Bem na hora que ele tava passando.

Eu, puto nervoso, sinto aquele perfume que me deixava louco, uma mistura de pensamentos, vontades… Acabei chamando ele, liguei o foda-se totalmente, não sabia nem se eu ia dormir em casa depois do que eu tinha feito, tinha mais nada a perder.

Puxei assunto, ele foi super legal, super simpático, disse que tocava bateria, que as vezes a gente tem que descontar nossas raivas, seja na música ou na musculação e bla bla bla… Essa hora já tinha perdido todo o tesão porque ele era totalmente hetero..

Ele me acalmou… Com aquele jeitão de hetero, pensei: agora já pode ir, embuste, já to calmo.
Aí ele começou outro assunto, eu querendo que ele fosse embora e nada. Falava mais que o homem da cobra, a essa hora eu já tava me arrependendo de tudo.

Daí comecei a falar que eu ia subir pra pegar umas roupas e vazar pra casa da minha vó, na tentativa de me livrar dele. E fomos andando. Na porta do bloco, ele me fala: “Cara, vai na sua vó não, fica lá em casa hj, to sozinho.” Aí reacendeu né, aquele fogo, aquela ponta de esperança que ele curtisse.

No elevador ele foi falando que morava sozinho desde os 18 anos, pra eu não reparar nada, aquela história de quem vai receber visita e eu tipo “nada a ver, tranquilo, também sou simples demais e bagunceiro”. Aí ele falou bem assim: “Não é nem por isso não!”

Eu devia adivinhar o que estava por vir e ir direto pro meu apartamento, mas o fogo no c* falou mais alto.
Daí ele abriu a porta… Nos mesmos moldes do apartamento dos meus pais, tinha um corredor pequeno até chegar a sala… Quando chego na sala, a surpresa… TUDO que você pode imaginar de coisas infantis, se bobiar tinha a sorveteira da Eliana naquela merda.

Pensei: ele disse que mora sozinho, pode ser de uma filha, sobrinha, um parente criança que vem visitá-lo.
De repente ele interrompe meu pensamento, devia ser pela minha cara de espanto e fala: “Coleciono brinquedos antigos. É tudo meu.”

Eu: hummmmm, legal.

Achei super estranho, mas aí ele me ofereceu whisky com energético, a coisa enfim estava ficando boa.
Ele deitou nos puffs espalhados pela sala e me perguntou se eu queria um abraço e eu claro, avancei e nós ficamos.

Manaaas, pensem num boy que beija bem demais, voltou a empolgação, esqueci que eu tava no Xou da Xuxa, fiquei de pau duro com aquele perfume e aquela delícia de perna dele, passei a mão em tudo sim! Nessa hora eu já tava querendo transar, só que a porra do tapete dele tava me dando alergia, uma coceira que atrapalhava nossa pegação… Aí eu falei: “Vamos para o quarto…”

Ele me levou até lá, acendeu a luz e se jogou na cama… Quando eu olho para a parede: toooooooodos os posters de Sandy e Junior que você possa imaginar ele tinha, mas tudo mesmo, onde quer que vc olhasse ia ter poster… Respirei fundo e pensei nos beijos e caí na cama.

A gente já tinha aberto os fechos, eu apressadamente já tinha tirado a camisa dele, ele a minha… Na hora da calça, eu já tinha tirado também e fui tentar tirar a dele, quando de repente ele tira minhas mãos dele e fala: “Nada disso, espera um momento.”

Eu, super excitado na cama e ele levantou, foi até o som que ficava na escrivaninha dele!

Falei: “adoro striptease!!”
Ele: “ah é? Você vai ver então!”

Foi quando começou a tocar: Dig dig joy, dig joy popoy…
Na hora do “Vem brincar comigo”, ele fazia o sinal de “vem” com o dedinho. Eu queria que um meteoro caísse no mundo naquele momento. Ele balançava a raba, Sandy e Junior com vozes de crianças cantando. O pau que tava lá na testa, foi parar lá no pé. Eu olhava para o lado pra tentar manter pelo menos um pouco da ereção e a Sandy me encarava.

Mantive o foco só na perna do boy, a música parou e ele veio nu pra cima de mim… Me beijou, eu pedi pra apagar a luz e tudo correu bem. Tomei trauma da Sandy, do Junior, do cheiro do perfume. Voltei pra casa nesse dia mesmo, ele ficou correndo atrás e as vezes a gente fica, só que no meu apto.

Espero que gostem do meu “Aconteceu Comigo”

– anônimo

 

Envie também a sua história! [email protected]

Página 1 de 1.4311234...1.431