INSÔÔNIA.com
O cheiro da Mentira – Aconteceu Comigo
fev
17
2019
Aconteceu Comigo* / Por: Marcelo ás 20:11
Aconteceu Comigo

Oi Corujinhas,

Gostaria de dividir com vocês uma situação catastrófica, porém real que aconteceu comigo há um tempo atrás.

Neste momento consigo contar a história e rir da situação e entendo que fui infantil. Massss… na época eu queria era me enterrar de tanta vergonha que passei.

Aos meus 21 anos, namorei um rapaz chamado Fred por 6 meses. E sabe porque terminamos?

Bem, senta que lá vem história.

Eu e Fred já namorávamos há 6 meses e sempre tivemos uma vida sexual ativa, frequente e diga-se de passagem, muito boa.

Ele sempre fazia surpresas para mim na hora H, me levava em lugares diferentes, comprava brinquedinhos…

Bonito, gentil, sexy e criativo… tudo era perfeito até este dia.

Já fazia um tempo que o Fred estava me pedindo para fazer sexo anal com ele. Eu nunca tinha feito, não tinha muita ideia de como funcionava na época.

E pra ser sincera não pretendia fazer nada. Meu plano era enrolar o Fred. Fazer o que eu sabia que ele gosta até que esquecesse.

Não tenho nada contra, nem nenhum problema com quem faz sexo anal. Acho até legal, mas não era algo que eu realmente tinha vontade. Então de um jeitinho ou outro sempre conseguia me esquivar.

No dia que fizemos 6 meses de namoro o Fred me convidou para ir em um restaurante que eu estava querendo ir faz tempo.

Me arrumei lindamente: Fiz a unha, o cabelo, maquiagem, depilei, coloquei uma roupa linda e sexy e uma lingerie de tirar o fôlego. Afinal já imaginava como a noite acabaria.

Como sempre Fred foi um fofo comigo a noite toda, e no final terminamos a noite num motel.

A noite havia sido ótima e agora era a hora de fechar com chave de ouro. Fazer aquele amor gostoso e depois ir pra casa.

Mas Fred voltou a insistir nessa parade de sexo anal. Inventei umas desculpas para fugir, mas nenhuma estava colando.

E eu estava muito sem graça por toda a noite perfeita que ele havia me proporcionado e decidi ceder para agradá-lo, já que ele era tão fofo comigo e me tratava bem.

Ele foi gentil, paciente e carinhoso como sempre.

Lubrificamos e fomos tentando até conseguir penetrar.

PQP que dor horrível eu estava sentindo e que vontade de ir ao banheiro fazer o número 2.

Mas aquela via neste momento estava ocupada. Decidi me concentrar e curtir o momento.

A dor foi sumindo e confesso que não foi tão ruim. Pelo menos eu havia deixado o Fred satisfeito. E eu consegui até sentir prazer, admito.

Quando Fred “terminou o ato” minha barriga parecia estar viva. então ele me chamou para tomar uma ducha.

Disse a ele para ir na frente que eu iria em seguida.

Quando vi que ele não estava mais no quarto e ouvi o barulho do chuveiro ligando. Decidi me libertar daquele mal-estar e soltar um pum para aliviar.

Definitivamente esta não foi uma boa ideia. Quando olhei para o lençol… Adivinha só?

Uma mancha horrível e com um cheiro péssimo que nem preciso dizer o que era, né?

Não queria passar esta vergonha na frente do Fred e muito menos estragar a nossa noite perfeita.

Fred perguntou se eu não ia tomar banho. Nesta hora juro que eu gelei.

Ele não podia de forma alguma ver aquilo.

Sob pressão do tempo e sem saber o que fazer. Olhei desesperada para o lado e vi um lençol dobrado no criado ao lado da cama.

Perfeito! Tirei o lençol sujo joguei embaixo da cama e coloquei o novo.

Prontinho! Nenhuma manchinha. Ele não vai perceber nada.

Agora precisava ir logo tomar aquele banho com meu gato e sair dali o mais rápido possível.

Fred era muito observador e ao sairmos do banheiro a primeira coisa que ele fez foi perguntar onde estava o lençol reserva.

Imediatamente respondi que não tinha nenhum lençol reserva. Foi a pior coisa que eu poderia dizer.

Fred pegou o telefone e ligou na recepção do motel xingando por não ter o lençol reserva.

A recepcionista insistia para ele procurar um pouco mais pois não havia possibilidade do lençol não estar no quarto, pois a camareira conferiu antes de entrarmos.

Comecei insistir para ir embora e ele não estava entendendo mais nada, pois fiquei brava e irritada dizendo que queria sair dali imediatamente.

Ele não me ouvia, pra piorar insistia em procurar o maldito lençol reserva e xingar o motel.

Com medo de ser descoberta e sem o Fred entender nada simplesmente comecei me trocar e juntar minhas coisas rapidamente. Tudo que eu queria na vida era sair daquele quarto.

Nesta hora ouvi uma pergunta que congelou a minha alma. Fred olha para mim e diz: Que cheiro é esse?

Nesta hora não quis ouvir mais nada peguei minha bolsa e saí do quarto sem dizer nada.

Mal dei 2 passos fora e ouvi ele dizendo: amor, achei o lençol.

Saí correndo que nem uma criança. Em menos de 1 minuto eu estava no estacionamento do motel.

O portão se abriu para um carro sair, aproveitei e sai junto. Corri mais dois quarteirões, me escondi e pedi um taxi.

Não sei o que o Fred fez com o lençol ou o que ele falou com a recepcionista.

Não voltei, não olhei para trás.

Nem tive tempo de pensar quando cheguei em casa e o Fred parou o carro na porta.

Não deixei ele falar nada. Simplesmente terminei sem dar explicações. Também não deixei ele falar nenhuma palavra.

Mesmo estando apaixonada por ele eu não conseguia encaráalo. Não tive coragem de dizer a verdade.

Fred insistiu em conversar comigo várias vezes. Mas eu não cedi. E depois de um tempo ele decidiu desistir de mim.

Nunca soube se ele comentou com alguém ou não sobre o ocorrido. Juro que nem quero saber.

Mas sempre digo a todas minhas amigas que não volto nunca mais naquele motel porque ele é muito fedorento. kkkkkkk

– ANÔNIMA.

Envie também a sua história: [email protected]

pleno séx XXI e o povo ainda não sabe que cu sai bosta
pleno séx XXI e o povo ainda não sabe que cu sai bosta
anuncie

Blizhost hospedagem de sites
Para comentar você tem que estar logado no facebook. Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade sua.

Deixe seu Comentário