INSÔÔNIA.com
O melhor jogo online
jun
16
2011

Oi gente!

Chegou o dia de mais um “Peripécias de um Motel”… TODOS COMEMORA! o

Queria agradecer todos os coments do post passado e todos os meus followers novos! Vocês são uns LINDOS! Ainda não me segue? Segue lá: @aline_leitte

E bora lotar de coments o post dessa semana galêreeeeeee! O Gleicou está saindo mas não fiquem tristinhos. Ele quer realizar o sonho de ser Advogado. Na vida, temos que buscar nossos sonhos mesmo. Mas tem uma mega novidade vindo por aí! A Gi vai por um prostituto substituto para postar fotos de mulheres pra vcs seus danadinhos!!!

Bom, semana passada deixei 3 histórias para serem voltadas:

– Negão e a Anãzinha

– Festa no Apê

– Pocket Histories – Várias histórias curtas

A mais votada foi:

O negão e a anãzinha

Pra começar, aviso para os leitores politicamente corretos do Insoonia: Sempre que eu escrever negão ou anãzinha, favor ler: O “afro- descendente de estatura alta e corpo roliço”, e a “mulher desprovida de altura”. Assim não falam que eu estou sendo preconceituosa ok? Rsrsrs (6)³

Bora lá?

Era mês de junho ou julho não sei, só lembro que estava um frio absurdo a noite. Chegou um carro com 4 homens pedindo 4 suítes diferentes. Confesso que senti um certo alivio. Eles não iriam fazer ‘festinha’!  Rsrs

O motorista me informou que logo atrás estava vindo um carro com as respectivas acompanhantes. Eles entraram, e logo atrás encostou o carro com as mulheres. Como já estava avisada, somente informei o nº das suítes e liberei a entrada delas.

O carro das meninas estacionou dentro de uma das garagens, todas saíram do carro e foram ao encontro dos rapazes. Ali mesmo no meio do pátio eles começaram a conversar descontraidamente. Eu observando meio de longe, percebi que havia 4 homens e 3 mulheres. Pelas minhas contas, um dos rapazes ia ficar na mão… rsrs

Me distrai com  outros clientes que estavam entrando no Motel, deixei a turminha pra lá.

Passado um tempinho, chega desesperada uma camareira praticamente aos berros: “Aline, quem é esse pessoal lá em baixo?”  Respondi que eram clientes, que cada um iria para o seu apartamento e que logo sairiam do pátio.”

Quase nem terminando eu deixar de falar, ela me disse: “Mais eles estão com uma criança, e um dos rapazes está indo com ela pra suíte.”

Meus Deus, me desesperei. Que situação.

Como assim uma criança? Um absurdo.

Falei pra camareira segurar as pontas na recepção pra mim e desci o pátio em direção a suposta criança. Como era uma noite muito fria, tinha muita neblina e de longe não dava para enxergá-los. Assim que fui chegando perto vi uma pessoa bem alta com mais ou menos 1,90 de altura, meio gordinho. Do seu lado caminhava alguém que não tinha nem 1 metro de altura.

Aí que eu me desesperei mesmo.

“Meu Deus, é uma criançaaaaa.”

Conforme fui descendo o restante do pátio, fui pensando no que fazer. Mas não chegava a nenhuma conclusão, não pensava direito. Como assim uma criança? A única certeza  que eu tinha era chamar a polícia.

Nisso eu já pensava há quanto tempo essa criança estava sendo abusada, e já estava morrendo de dó da criança. (Olha como a cabeça da gente viaja na maionese! Rsrs)

Enfim cheguei perto. Chamei o rapaz.

Ele se virou e a pessoa também.

É..

Não era uma criança. Era uma anã.

Ela era muito pequenininha. Altura de criança com um rosto envelhecido. Ela usava uma bota infantil rosa. Estava toda maquiada, e de cabelo com chapinha. Certamente a roupa que ela usava também era infantil.

Fiquei estarrecida.

Não pelo fato de ela ser anã, claro. Mas pelo fato de ela estar com um negão de quase 2 metros de altura. Não entra na minha cabeça meu povo.

Como eles iam se virar na suíte, como?

O negão era 4 vezes maior que ela.

E se na hora, ele caísse em cima dela? Óbito na certa! Ela tinha as perninhas muito pequenas, e meio tortinhas, e se ele se empolgasse e quebrasse a perna dela?

Na minha opinião, ele usava ela como uma boneca. Se quisesse um oral pegava ela e colocava de ponta cabeça. Se quisesse penetrar, era só pegar ela no colo e chacoalhar ela pra cima e pra baixo. Se ele quisesse brincar com ela de ventilador, era só ele encaixar ela no menino, dar um tapa pra ela começaria a girar! rsrs

Não sabia se eu abria um buraco no chão e enfiava minha cabeça, se eu saia correndo de vergonha, ou se eu perguntava para a anãzinha como ela ia dar conta afinal, afro-descendentes tem uma certa “fama” né? Guerreira ela viu? Rsrs

Cumprimentei com um ‘Boa noite’ o estranho casal, e com muita vergonha disfarcei ( e muito mal disfarçado ). Disse que eu iria revisar o frigobar da suíte.

Saí do apartamento com uma ‘Poker-face’ danada. Foi muito constrangedor. Desci o toldo, e a anãzinha me agradeceu. Ela tinha uma voz super grossa. Rsrs

Não me contive. E observei pelo cantinho do toldo o casal subir a escada.

Ele subiu rápido na frente, e ela com uma imensa dificuldade subia os primeiros degraus e gritava “Me espera, me espera…” #quedóquedóquedó

Subi pra recepção com crise de riso devido a situação que havia acabado de passar.

Passado um tempo, os casais começaram a deixar os apartamentos. O negão e a anãzinha foram os últimos. Novamente a turminha se encontrou no pátio. Os casais começaram a se despedir. Então o negão a pegou no colo e deu um beijo. Rsrsrs

Acho que era o único jeito de conseguir beijá-la! (Quase fui oferecer uma escada…rsrs)

As meninas entraram no carro, foram embora. (Acho que a dona do carro cometeu uma infração, será que a anãzinha precisaria usar cadeirinha?) #quemaldade

Em seguida o carro com os rapazes parou para pagar os apartamentos. Eles estavam numa animação só. Enquanto fui passar o cartão, ouvi a conversa  e fiquei sabendo da noite deles.

Eles estavam em uma festa, conheceram as meninas. Só que ninguém queria a anã. As amigas dela disseram que se ela não fosse nenhuma delas iriam. Então, eles tiraram no 2 ou 1 quem ia ficar com a baixinha. O negão perdeu (ou ganhou, dependendo do ponto de vista!), e encarou a anãzinha!

Bom galera, é isso!

Quem tiver suposições de como eles se viraram no apartamento, só comentar! =)

Pra semana que vem:

– Vanessão, cadê o dinheiro?

– 4 homens e um hortifruti

– Pocket Histories – Várias histórias curtas

Espero que tenham gostado!

.

Aline Leitte – @aline_leitte

anã, negão
anã, negão
jun
10
2011

Oi corujinhas! Tudo bem com vocês?

Mais uma vez, meu post está atrasado! Semana dos namorados no meu ramo, é ferveção. O pessoal começa a comemorar desde segunda feira! Então fica super corrido pra mim! Mas antes tarde do que nunca né? Não ia deixar meus LINDOS leitores assíduos na mão!

Vamos ao que interessa?

Semana passada deixei 3 histórias para serem votadas:  Pamela o travesti brigão4 homens e um hortifrutiVanessão cadê o dinheiro?

Só posso dizer que essa foi a votação mais apertadinha (uii) até hoje! A vencedora por um volto de diferença foooooooooooiii:

Pamela, o travesti brigão

Gente antes de começar nosso ‘causo’ de hoje, gostaria de esclarecer uma coisinha! Nunca, em hipótese alguma citarei os homossexuais e travestis de maneira preconceituosa, se os cito aqui é por que o fato aconteceu com eles, assim como poderia ter acontecido com homem, mulher, branco, negro, amarelo, baixo, alto, gordo , magro, bissexual, trissexual (rsrs) por aí vai! Ok? Estamos conversados?

O caso de hoje aconteceu em uma madrugada de um fim de semana bem movimentado. Por volta das 2:00 da manhã, aluguei uma suíte para dois homens. Logo atrás chegou um carro com uma pessoa sozinha. (que na hora não consegui distinguir o sexo, pois a mesma quase nem abriu o vidro para pegar a chave!)

Abri o portão, e o carro foi seguindo seu curso. Do nada o carro parou em frente a garagem do primeiro apartamento. Coincidentemente, esse era o apartamento que eu havia alugado para o carro anterior… É não foi tanta coincidência assim.

Saiu do carro, um travesti – bombado. Com uns 2 metros de altura com braços e pernas enormes! Ele vestia uma blusinha de alcinha roxa toda apertadinha, uma calça de abrigo cinza, havaianas no pé, e no cabelo um lenço colocado tipo bandana. Na mão a pessoa portava um pedaço de madeira, de mais um menos 1 metro.

Assim que ela ( ele, sei lá…) fechou a porta do carro foi direto para a garagem do apartamento, levantou o toldo e foi com tudo dando pauladas em um dos rapazes da suíte.  Descontrolada, a moça gritava “Não acredito que você está fazendo isso comigo.”  – e    dá-lhe paulada. “Você me tirou da rua pra que?” – e mais paulada no rapaz.

Nisso, o motorista do carro tentou tirar o bombado de cima do dele, foi aí que ela ficou com mais ódio. “Quem é você pra colocar a mão em mim? Você é o culpado! Você que foi atrás dele.” Nesse momento, ao invés de dar paulada no motorista do carro, Pâmela descontou sua ira no carro dele. Distribuiu pauladas na lateral direita do carro, deixando vários amassados.

Foi incrível tudo isso aconteceu em fração se segundos.

Antes que a Pâmela matasse alguém á pauladas, chamei o segurança. Ele foi correndo em direção ao barraco, assim que o travesti descontrolado o viu já ameaçou. “Se você chegar perto de mim, eu te matooooo…”. Bundão com ele só, o segurança disse era melhor eu chamar polícia.

Enquanto isso na suíte, Pâmela tocava o terror. Gritava, xingava, esbravejava e principalmente distribuía pauladas.

Nisso eu já tinha me trancado na recepção, com medo de alguma paulada sobrar pra mim. Rsrs Só ficava observando da janela de saída. Rsrs

Em um momento de distração, o rapaz que era o motivo da raiva dela correu e se trancou no apartamento. O motorista entrou no carro e se mandou. Ela batia na porta da suíte e gritava: “Sai daí seu ordinário eu vou te pegar, uma hora você vai ter que sair daí…”  Bem devagar e com um certo medo uma camareira tentou a  aproximação: “Moça, fica calma. Quer sentar aqui na cozinha?”   A Pâmela olhou pra senhora, e disse: “Eu não quero ficar calma, o que vai me acalmar é matar aquele desgraçado!” A camareira para tentar acalma-la, passava a mão em seus grandes braços e falava: “Calma Pâmela, fica calminha. Quer um chá?”

Ela então resolveu aceitar. Foi a cozinha e ao sentar começou a explicar indignada: Disse que o rapaz que ela queria bater era seu namorado. E que uma pessoa conhecida havia ligado para ela e contou que ele estava fazendo programa. Ela resolveu conferir e acabou pegando ele bem na hora que estava entrando em um carro. Seguiu eles, e foi parar lá no Motel. Pâmela tirou a aliança de compromisso do dedo, jogou no pátio e foi em direção a suíte. Pegou novamente o pedaço de pau, e começou a bater na fechadura da porta. Quando ela percebeu que não ia dar certo resolveu chutá-la . Depois de alguns chutes ela conseguiu abrir. (O rapaz havia trancado a porta somente no trinco.)

Assim que ela entrou, foi direto em cima dele. Ele saiu correndo em direção as suítes do fundo. Foi aí que baixou uma mistura de Zé do Pulao com Maria Zeferina na Pâmela e ela conseguiu alcança – lo.

Foi então que ela largou o pedaço de madeira, e resolveu ir pra cima dele no tapa mesmo. Eu só via de longe aquele homem enorme, de sobrancelhas feitas e lenço na cabeça desferir socos no rapaz. Até que Pâmela parou, e gentilmente começou arrastar o homem pelos cabelos até o carro. Abriu a porta de trás e o jogou lá dentro, dizendo que iam terminar a ‘conversa’ em casa. Coitado do rapaz, será que ele sobreviveu a essa DR?

Antes de ela dar partida no carro, eu já abri o portão para que ela saísse. Não queria nem olhar muito pra Pâmela…vai que ele não fosse com a minha cara, e resolvesse partir pra mim com um pedaço de pau! Rsrs

Assim que fechei o portão, pensei comigo “Ufaaa, o pior já passou!” Aí sim meus amigos, fomos surpreendidos novamente! Vocês lembram que o namorado da Pâmela estava com um rapaz, que se mandou de medo dela?

Então, mais ou menos uns 30min que eles haviam indo embora ele voltou alegando que havia sido roubado dentro do Motel. Fez a maior ceninha, dizendo que era advogado, que iria chamar a polícia, processar o Motel, me processar e por aí vai… Foi até o apartamento, revirou tudo e não achou a carteira. Eu disse pra ele que provavelmente ele deveria ter sido roubado por um dos dois (Pâmela ou seu namorado), pois isso acontece com alguma freqüência. (Não que todos os travestis façam isso gente, mais alguns fazem. Cada profissão tem seus maus profissionais! Rsrs)

Ele não queria admitir que havia sido roubado por algum deles, disse que fomos nós, que nós somos passa-fome. Hahaha

Então ele resolveu que ia na delegacia fazer um B.O e posteriormente iniciar um processo. Chamei a gerência (que estava em outra unidade, e não viu nada do bafafá) que por sinal, na época a era minha mãe. Assim que o nervosinho a viu, começou a soltar a mesma ladainha!

A encarregada concordou, disse que ia com ele fazer o B.O e que seria ótimo ele abrir um processo. Assim a família dele iria saber onde ele foi roubado, e com quem ele estava no motel. Na hora ele parou, pensou, enfiou o rabinho entre as pernas e foi embora!!! (Mother Fuck Yeah! rsrs)

Assim se resumiu a minha noite. Pancadaria, roubo e muita diversão! Rsrs

É isso aí gente, espero que tenham gostado!!!

Pra semana que vem o que vai ser?

– O negão e a anãzinha

– Festa no apê

– Pocket Stories  – várias histórias curtas!

Aline Leitte – @aline_leitte

coisas q acontecem em moteis
coisas q acontecem em moteis
jun
02
2011

Falaê corujinhas! Tudo belê?

Soooooorry a demora do post, esses dias foram #tensos. Minha mãe e meu pai estão com dengue, então esses dias fiquei por conta deles tadiiinhos… :S

Mããããs, assim que tive uma brecha vim aqui postar pra vocês seus LINDOS!

Como vocês sabem , deixei 3 histórias para serem votadas: 1. Festa no apê; 2. A anãzinha e o negão; 3. Os três metaleiros

O Vencedor foooi:


OS TRÊS MATALEIROS

Quem me segue no Twitter (@aline_leitte) já deve saber que a minha mãe trabalhou muito tempo em motel. Ela sempre vinha com umas histórias muito bizarras, até mesmo surreais. Mas somente depois que eu comecei a trabalhar no ramo e presenciei todas essas situações que cheguei a conclusão que nada mais me espanta! Meus queridos, vocês não tem noção até onde o ser humano pode chegar.

Estava trabalhando em um domingo de manhã, o motel estava super movimentado. Quase todas as suítes alugadas. O recepcionista da outra unidade me ligou dizendo que estava mandando clientes e que era pra eu alugar uma suíte com hidromassagem. Normal, tudo belê!

Do nada, me surgem na janela 3 homens mal encarados (eles estavam a pé). Até assustei. Com um pouco de receio abri a janelinha. Perguntei se podia ajudar, um deles me respondeu que o rapaz da outra unidade havia mandado eles lá. Dei a chave da suíte, cobrei o valor antecipado (pois é norma da casa quando o cliente vai a pé), abri o portão e eles entraram na suíte.

Em minha inocência pensei que eles fossem usar a suíte para usar drogas, pois alguns clientes alugam a suíte para esse fim.

Do nada, começa a tocar um som muito alto na suíte, um heavy metal daqueles bem pesados sabe? Eles começaram a gritar “Uhuuuuuu”, “Yeahhhh” e derivados. Dava pra ouvir quase tudo o que acontecia na suíte, por que eles gritavam muito alto e o quarto é bem perto da recepção.

Essa festa durou uns 20 minutos mais ou menos.

Tocou o interfone, era o apartamento dos rapazes. Educadinho, o rapaz me pediu banho de espuma pra colocar na hidro.

EPA! Já ficou meio estranha essa história.

Novamente toca o interfone e era denovo do quarto da festa. Do outro lado da linha o rapaz meio tímido, me pergunta. “Moça, vocês tem esses itens da última folha do cardárpio?”

Na ultima página do cardápio se encontram os itens eróticos e a família dos HP’S – as próteses! (HP209-N, HP209ne…e por aí vai! rsrs )

Confirmei que tinha todos os itens, e ele me pediu um HP209 – N, (sempre ele! O mesmo do Sr. Juventino!), uma calcinha Fru Fru, que é branca transparente com umas plumas do lado e mais um lubrificante.

Pra variar fiquei Barbie na caixa né?

Os três mal encarados, todos de preto, com aquelas correntes na calça, camisetas de banda estavam mesmo fazendo uma festinha dentro da suíte. E outra coisa, eram três homens cada um com seu pinto, pra que mais um meu Deus? Rsrsrs

Enfim, mandei os produtos pro apartamento. Passado um tempinho começou uma gritaria dentro do quarto. Uns gemidos que mais parecia um urso com pneumonia, uns berros que parecia que um lá dentro estaria sendo morto.

Novamente começa a música alta. Mais gritaria.

Um deles gritava lá dentro:

“Me comeeeeee Danielee, me come Danieleeeee”

Hã? Daniele? Nome de guerra?rsrsrs

Algum deles falava também:

“Ai Giovanaaaaaaa, vem Giovanaaaa…”

Era um tal de me come pra lá, me fode cá, me chupa acolá…  Venceu a diária deles, mas a gritaria continuava. Eu empata-foda que sou, liguei na suíte (fazer o que, é meu dever! Rsrs) Um deles atendeu, e afirmou que iam renovar a diária. ( O negocio devia estar bom lá dentro!)

A gritaria continuava e a música também. Dentre os gritos e dentre tantos nomes que falaram, acho que ouvi um “Me come Mick Jagger” PORRA VELHO! TESÃO PELO MICK JAGGER? NÃO FODE! Só a Luciana Gimenez pra encarar aquilo! Rsrsr

Quase terminando a outra diária o som foi desligado, os ruídos cessaram.

Sem vergonha nenhuma os três bonitinhos-da-cara-feia saíram do apartamento, me pediram para chamar um táxi, pagaram e foram embora. FIM.

Convido todos do Insoonia a pensar comigo!

– Eles estavam sem mochilas.
– A prótese não estava no apartamento.
– Um trem daquele tamanho não cabe no bolso, sem ser notado.

Onde será que eles levaram o meninão? oO Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk =)

Mais uma coisa, fui contar o ocorrido pro recepcionista que havia me mandado os rapazes. Ele me contou que eles eram cliente da casa, e que sempre faziam isso. As vezes um deles vai sozinho, pede a prótese e uma calcinha e se diverte! (Eu, eu mesmo e o HP209-N rsrsrs)

Eitaaa, esses “metaleiros” estavam mais pra bailarinos de Arrocha! Enfim, é isso!

Espero que tenham gostado! Pra semana que vem, qual história vocês querem ler?

– Vanessão cadê o dinheiro?

– Quatro homens e um hortifruti

– Pâmela, o travesti brigão

Até quarta! Beijos! @aline_leitte

3 metaleiros, Blog Insoonia, Motel, sexo
3 metaleiros, Blog Insoonia, Motel, sexo
Dicas
maio
26
2011

Oi corujada! Como andam as coisas com vocês?

O post da semana passada foi bem polemico heim? Muita gente gostou, algumas pessoas duvidaram da veracidade do fato, alguns corrigiram meus grotescos erros de ‘portugueis’, vários seguidores novos! ( como assim ainda não me segue? @aline_leitte) …  mas posso falar? Tô adorando postar aqui toda semana! (Valeeeuuu Giii *-*), e adorando muito o retorno de vocês! Não canso de dizer que os leitores do Insoonia.com são uns LINDOS!  Gostaria de falar também que, se a história que você votou não foi a postada, fique tranks! Não vão faltar oportunidades de elas serem votadas novamente! =)

Mããããããs, chega de blá – blá – blá chega de nhé – nhé – nhé…vamos ao que interessa!

Semana passada deixei 3 histórias para serem votadas! Pâmela, o travesti brigão; Noiva em fúria e Vanessão, cadê o dinheiro?

A vencedora (quase por unanimidade) fooooi:

 

NOIVA EM FÚRIA!

Como todas as histórias aqui contadas, tudo começa com um dia calmo de trabalho. Clientes entrando, clientes saindo tudo corria normalmente. No Motel, a gente tem o hábito de comentar que se está tudo muito calmo, alguma coisa vai acontecer. Nesse serviço não tem rotina! Rsrs

Eis que chega um carro, de cor amarelo-ovo. Pediu um box. (Anteriormente funcionávamos também como Drive-in) Passei o nº, e ela entrou.

Assim que o carro entrou percebi que no banco de trás do carro havia pendurado uma capa (daquelas de quando se aluga um vestido de festa ou um terno), e mais algumas banco.  Fiquei observando o carro descer vagarosamente, parecia que ela estava procurando alguma coisa. E ela estava procurando mesmo.

A mulher parou o carro no começo do pátio. Pensei que ela fosse querer alguma informação, ou até mesmo perguntar onde ficava o box que lhe foi dado. Ela desceu do carro e foi indo no rumo do 1º box. Perguntei a ela, se ela precisava de alguma coisa. Curta de grossa ela ,me respondeu: “ Preciso sim, do meu noivo.”

Nisso ela levantou o toldo e gritou “Gabriel, eu sei que você está aqui…”  Mais o tal do Gabriel não estava! Lá se encontrava um casal, em pleno ato. Mais que correndo, pedi desculpa pro casal e abaixei novamente o toldo. Não contente a moça, desceu e levantou o toldo do outro box. Novamente não era seu noivo. Descontrolada, a mulher saiu correndo, levantando TODOS os toldos do box, e gritando loucamente: “Gabriel, eu sei que você está aqui. Você não me engana. Eu te vi entrar aqui Gabriel.”

Enquanto ela descia abrindo os toldos, eu descia atrás fechando e pedindo desculpa aos clientes.

Foi uma situação completamente embaraçosa. Eu vi clientes de todas as maneiras dentro dos carros… #tenso

Tentei pedir pra ela não abrir os toldos, explicando que havia clientes dentro, que eles pagavam pra ter privacidade, e não para serem incomodados. Com muita graça e elegância, a mulher me respondeu: “Sai daqui se não eu te quebro”.

Fiquei bege, Barbie na caixa, passada! Como assim a louca queria me dar uns tabefes?

Disse pra ela que se ela fizesse isso, seria obrigada a chamar a viatura.

Ela me mandou fazer o que quisesse, e continuou a abrir os toldos.

Eu não sabia o que fazer. Tinha uma mulher completamente descontrolada, abrindo todos os toldos onde os clientes estavam em pleno ato de fornicação (rs), gritando feito louca e ainda por cima querendo me bater. Não sabia se eu ria, se eu chorava, se eu batia nela, se eu chamava a viatura ou se eu saia gritando:” Gabriel, cadê você? Vem cá seu lazarento!”.

Continuei a correr atrás dela, fechando os toldos. Então após quase ter aberto todos os toldos, ao olhar pela fresta de um dos últimos ela exclama: “ACHEI.” Pensei comigo: “Agora vai dar merda!”

Ela levantou o toldo e correu pra dentro do box. Fui correndo atrás, pra tentar impedi-la de entrar. Tarde demais…

Deparo-me com uma mulher deitada no capô do carro, de pernas abertas. O rapaz devia estar observando alguma coisa lá, pois estava com a cabeça entre elas!

A moça então vai para o lado do rapaz pega ele por trás (pela gola da camisa) e empurra ele pro chão (aquele de pedrinhas) e começa a chutar e gritar. “Seu filho da puta, como você fez isso comigo. Eu não acredito.” A mulher que estava com ele entrou no carro, ao perceber isso a traída foi atrás dela, a tirou  pelos cabelos de dentro do carro e começou a bater e gritar: “Sua vagabunda, vocês dois juntos. Não acredito. Não acredito. Você é minha amiga, minha madrinha.”

Heim? Madrinha? Hã?

Saí pra chamar o segurança que fica do lado de fora. Nisso a mulher subiu correndo e foi até o carro amarelo- ovo pegou aquela capa e abriu. Dentro tinha o seu  VESTIDO DE NOIVA.  Ela voltou a descer pro box, gritando: “Você quer ele vadia? Agora é você quem vai casar com ele. Você vai engolir esse vestido.”  A amante do tal do Gabriel ao ouvir isso saiu correndo e se escondeu dentro de um banheiro, então ela decidiu fazer ele mesmo comer Foi pra cima dele e esfregava o vestido na cara dele.

Obs¹: Tinha duas pessoas em cima da mulher, para tentar conte-la!!!

Obs²: Assim que os clientes ouviram gritaria, deixaram o que estavam fazendo nas suítes/box e foram pra fora para ver o bafão!

Logo que conseguimos tirar a mulher de cima dele, ela jogou o vestido no chão, pisou com os pés em uma parte e puxou a outra parte com  a mão. Aos poucos ela foi picotando o vestido. O noivo-traidor não fazia nada. Não sei se ele estava aliviado por não casar com ela, ou envergonhado/arrependido.

Ela largou os restos do vestido, e novamente foi para o carro.

Pensei comigo “Agora acabou!”.

Que nada, a mulher estava com a corda toda. Pegou mais algumas capas, abriu e jogou tudo no chão. Deu pra ver que tinha uns 3 vestidos. E um terno. Ela começou a acabar com tudo, da mesma forma com que acabou com o vestido.

Enquanto ela destruía as roupas, a amante entrou no carro junto com o noivo da moça. Aproveitaram que o portão estava aberto, e foram embora. A noiva-traida não percebeu e continuava lá imitando o Sr. Madruga, pulando em cima das roupas!

Fui até ela, contar que os dois haviam ido embora. Ela desabou no chão e começou a chorar feito criança. (Apesar de ela ter quase me agredido, fiquei com dó) Começou a me explicar que o casamento dela estava marcado para o dia seguinte. Que ela namorava fazia 11 anos, e que o casamento estava sendo pago há pelo ao menos 2 anos. A amante dele era sua ‘melhor amiga’, que seria também sua madrinha de casamento. Depois de dar a ela um copo d’água ela foi embora, prometendo matar os dois!

Foi um Deus-nos-acuda!

A pessoa estava completamente descontrolada! O complicado depois, foi explicar para os clientes quem era a louca que levantou os toldos!!!  =)

Bom corujinhas é isso!

Lembrando que tudo que é contado aqui em 100% verdade!

Claro que tem os que não acreditam né, mas fazer o que! Essas pessoas não vão acreditar então se eu contar que hoje, tinha um casal em uma suíte com 2 cachorrinhos da raça Maltês dentro! E assim que a camareira levou o café da manhã, o Sr. que estava lá abriu a porta e os dois saíram correndo atrás dela! Rsrsr

Votem aê galera!!!

– Os três metaleiros

– O Negão e a Anãzinha

– A festa no Apê!

Beijos, até quarta!

 

maio
18
2011

Falaaaa corujadaa!!! Enfim quarta feira! E quarta feira é dia deeeeeeeeeeeeeee….

“Peripécias de um motel” – Todos chora de emoção! Rsrsr

Primeiramente, queria agradecer todos os comentários, críticas e ‘boas vindas’  do primeiro post. Realmente os leitores do Insoonia.com são uns lindos viu! *_____*

Adorei muito, muito, muito!! Lembrando, quem não me seguiu o twitter segue aê! @aline_leitte.

Bom, como vocês sabem deixei 3 histórias para vocês escolherem: A anãzinha e o Negão, 4 homens e um Hortifruti, O Sumiço do pinto do Sr. Juventino… E a mais pedida fooi… (Lembrando que, por mais que pareça estranho, é 100% verdade heim!!!)

O SUMIÇO DO PINTO DO SR. JUVENTINO


Juventino (nome fictício) é um senhor, cliente fiel do motel.Semanalmente, ou até mesmo duas vezes na semana ele chega de táxi, aluga um apartamento e chama uma garota de programa.Ok. Normal.

Se não fosse por um pequeno detalhe.

Assim que Sr Juventino começou a freqüentar o Motel ele adquiriu alguns itens: Uma calcinha vermelha chamada sapequinha, que tem um furo na frente e outro furo atrás, lubrificante, alguns preservativos com sabor e um HP209-N.

Vocês devem estar se perguntando: “O que seria um HP209-N? “

Meus caros leitores. HP209-N é uma prótese maciça, em silicone anti-alérgico, nas dimensões 16cmx4cm com cinto. Ou seja, um vibrador com uma espécie de calcinha onde a mulher veste e…enfim!

Após as compras e provavelmente se utilizar dos produtos, Sr Juventino se encaminhou á recepção e pediu para que uma caixa de sapato fosse mantida ali. Como é cliente conhecido, passamos a guardar a tal caixa. Curiosa como qualquer ser humano. Assim que ele me deixou a caixa da primeira vez, resolvi olhar do que se tratava.  Eis que lá, se encontrava a calcinha, alguns preservativos, o lubrificante e o tal vibrador com o cinto.

Assim, fielmente Sr Juventino continuou a freqüentar nosso querido estabelecimento. Assim que lhe era entregue a chave do quarto, era entregue também a sua “caixa da diversão” rsrs Logo que ele deixava o apartamento, colocava a caixa na boqueta, (boquetA viu . cabecinhas sujas!) e alguma das camareiras levava a caixa para ser guardada novamente.

Isso permaneceu durante meses! Rsrs

Então em um certo dia, Sr Juventino chega e como de costume pediu a caixa. Foi lhe entregue a chave, mais a caixa não estava no lugar de costume. Mandei-o pro apartamento, e disse que provavelmente haviam mudado ela de lugar, e que mandaria alguma camareira levar pra ele. Procurei, procurei, procurei, procurei e nada! Meus Deus! Cadê o pinto do Sr. Juventino? O turno inteiro começou a buscar a caixa, mais nada foi encontrado. Tive que ligar para ele, e informar que a caixa não se encontrava lá. “Senhor, procurei a caixa mais ela não está aqui”.

Já meio exaltado ele afirmou que havia deixado ela no apartamento da ultima vez, e que teríamos que dar conta dela. Tentei argumentar que já havíamos procurado, e que a caixa havia sumido. Do outro lado da linha ele gritou “Estou indo aí agora”.

Pensei comigo. “Agora FODEU!”

Sai do quarto com ódio no olhar aquele senhor franzino, já meio careca. Chegou e perguntou: “Cadê a minha caixa?” Respondi que não sabia. Que já havíamos procurado em todos os lugares e que não a encontramos.

“Como assim vocês não encontraram? Eu deixei aqui da ultima vez.” Nessa hora fiquei sem argumentos, já havia tentado me explicar com ele de todas as maneiras.

Então o velho explode:

“Cadê meu pinto? Eu quero meu pinto! Quem foi que roubou o meu pinto.”

Fiquei sem reação, tipo Barbie na caixa!

Ele continuava gritando, esbravejando “Roubaram o meu pinto, eu quero o meu pinto. Moça, a calcinha não precisa, mais eu quero o meu pinto.”

Então ele resolve voltar pro quarto, mais passa 10min ele volta.

“Acharam o meu pinto?” Respondi que não. Ele continuou surtando:

“Como é possível meu pinto ter sumido. Eu paguei, então eu quero o meu pinto”

Nisso só ele falava. Eu não tinha o que falar. Eu só via aquele senhor que aparentava uns 60 anos, quase enfartar por causa de um pinto!

Até que depois de quase 50min de crise o Sr. Juventino interfona. Acho que ele se deu por vencido e resolveu comprar outro vibrador! Assim que ele deixou o apartamento, deixou um bilhetinho junto com seu “meninão” que dizia assim: “Favor guardar com responsabilidade.”

Vê se eu aguento!!! =)

E o pinto? Onde foi parar?

Depois de um tempo, descobrimos que uma camareira levou ele embora. Coitada…vai saber, acho que fazia tanto tempo que ela não via a coisa, que quando viu, resolveu levar pra ela. Pra se divertir um pouco. Rsrs

Bom galera. Espero que tenham gostado! E pra semana que vem? O que vai ser?

1. Pâmela, o travesti brigão

2. Noiva em fúria

3. Vanessão, cadê o dinheiro?

Até semana que vem! by Aline