INSÔÔNIA.com
jun
28
2008
Dicas / Por: Gislaine Lima ás 19:42

Todo mundo, apesar de saber, tem receios na hora de fazer o arroz. Você que não tem o costume de cozinhar, prefere comer fora ou deixa o serviço por conta de alguém da família por simplesmente medo de errar na mão ou preguiça, saiba que depois dessa receita você vai querer fazer em casa e vai se apaixonar.

Não tem erro, é só seguir a receita que será sucesso. Nada como um arrozinho fácil de fazer, branquinho, soltinho e delicioso!

como-fazer-arroz

COMO FAZER ARROZ:

Ingredientes:

– 2 xícaras (chá) de arroz branco

– 4 xícaras (chá) de água fervente

– 2 dentes de alho sem cárie

– 1 colher (chá) rasa de sal

– 1 colher (sopa) de óleo

Modo de Preparo:

Mesmo com tantas opções no mercado de arroz que não precisa lavar, a dica é sempre lavar. Mesmo que na embalagem diga que não precisa. Essa é uma dica minha, pois com a experiência, pude perceber que a lavagem deixa o arroz mais limpo e branco. Fica mais bonito visualmente falando.

Use um escorredor de arroz para lavá-lo. Quando toda a água esbranquiçada sair, está limpo. Deixe escorrendo enquanto não chega a hora de ir para a panela.

Enquanto isso, ferva a água. Pense que se você colocar a medida certa para ferver, irá perder um pouco dessa medida porque a água vai evaporar. Se quiser ser bem preciso, ferva um pouco mais de água e deixe para medir quando for colocar na panela.

Refogue o alho em uma panela com o óleo. Esprema o alho (no espremedor! Não vá espremer com a mão que não vai sair nada. Se não tiver esse equipamento ultra básico em casa, compre já seu espremedor de alho) e junte o sal.

Não deixe queimar: assim que começar a querer dourar, adicione o arroz. Vai subir aquela fumaça com o melhor cheiro do mundo nesse momento.

Dê uma mexidinha de leve no arroz (você está refogando o arroz) até ele ficar sequinho. Essa etapa é importante para que ele adquira o gosto do tempero.

Arrume o arroz uniformemente na panela e adicione a água fervente.

A medida da água é sempre o dobro da medida do arroz. Outra dica é que a água precisa ficar uns dois dedos acima do arroz e que, quando a água estiver secando e você achar que o arroz está muito longe de estar cozido, você vai precisar adicionar mais meio copo d’agua na panela, uniformemente.

Apesar dessas dicas serem muito boas, tente seguir a receita. Se no fim alguma coisa tiver dado errado, deixe para mudar na próxima vez, senão nunca vai dar certo.

Tampe a panela parcialmente. Após uns 5 minutinhos, abaixe o fogo e tampe a panela completamente. Deixe lá.

Nas primeiras vezes você não vai ter noção de quanto tempo a água demora para secar, depois você vai se acostumando. Por enquanto, vá abrindo a panela para espiar. Pegue um garfo e dê uma afastada no canto para ver se ainda tem água no fundo, mas não bagunce o arroz nunca.

Quando a água estiver quase secando, destampe parcialmente a panela de novo. Espere mais um pouco e, quando estiver completamente seca, está pronto.

Mais uma dica super útil: quando o arroz queimar, tire imediatamente um pouco dele com uma colher e coloque sobre uma pedra (a pia, se for o caso). Por cima do arroz, coloque a panela. Vai dar um cheiro de queimado e, não sei por que razão, isso vai tirar o gosto de queimado do seu arroz (dica da minha vó).

Claro que se tiver virado carvão não vai ter jeito, né?! Ah, também evite servir o arroz que queimou no fundo da panela, porque ninguém merece comer arroz queimado.

E a cebola, sentiu falta dela na receita? Pois é, não gosto de temperar arroz com cebola. O que eu faço às vezes é aumentar a quantidade do alho, coloco 3 dentes. Gosto muito daquele gostinho de alho no arroz. Hummm!

Você também pode mudar a medida dos temperos. Vá testando até ficar ao seu gosto.

arroz, cozinha, dica, modo de preparo
arroz, cozinha, dica, modo de preparo
jun
27
2008
Dicas / Por: Gislaine Lima ás 17:21

Pessoal que está se preparando para o vestibular, com certeza serão ótimas dicas. Leiam!!
1. Deve evitar ao máx. a utiliz. de abrev., etc.

2. É desnecessário fazer-se empregar de um estilo de escrita demasiadamente rebuscado. Tal prática advém de esmero excessivo que raia o exibicionismo narcisístico.

3. Anule aliterações altamente abusivas.

4. não esqueça as maiúsculas no início das frases.

5. Evite lugares-comuns como o diabo foge da cruz.

6. O uso de parêntesis (mesmo quando for relevante) é desnecessário.

7. Estrangeirismos estão out; palavras de origem portuguesa estão in.

8. Evite o emprego de gíria, mesmo que pareça nice, sacou??… então valeu!

9. Palavras de baixo calão, porra, podem transformar o seu texto numa merda.

10. Nunca generalize: generalizar é um erro em todas as situações.

11. Evite repetir a mesma palavra pois essa palavra vai ficar uma palavra repetitiva. A repetição da palavra vai fazer com que a palavra repetida desqualifique o texto onde a palavra se encontra repetida.

12. Não abuse das citações. Como costuma dizer um amigo meu: “Quem cita os outros não tem idéias próprias”.

13. Frases incompletas podem causar

14. Não seja redundante, não é preciso dizer a mesma coisa de formas diferentes; isto é, basta mencionar cada argumento uma só vez, ou por outras palavras, não repita a mesma idéia várias vezes.

15. Seja mais ou menos específico.

16. Frases com apenas uma palavra? Jamais!

17. A voz passiva deve ser evitada.

18. Utilize a pontuação corretamente o ponto e a vírgula pois a frase poderá ficar sem sentido especialmente será que ninguém mais sabe utilizar o ponto de interrogação

19. Quem precisa de perguntas retóricas?

20. Conforme recomenda a A.G.O.P, nunca use siglas desconhecidas.

21. Exagerar é cem milhões de vezes pior do que a moderação.

22. Evite mesóclises. Repita comigo: “mesóclises: evitá-las-ei!”

23. Analogias na escrita são tão úteis quanto chifres numa galinha.

24. Não abuse das exclamações! Nunca!!! O seu texto fica horrível!!!!!

25. Evite frases exageradamente longas pois estas dificultam a compreensão da idéia nelas contida e, por conterem mais que uma idéia central, o que nem sempre torna o seu conteúdo acessível, forçam, desta forma, o pobre leitor a separá-la nos seus diversos componentes de forma a torná-las compreensíveis, o que não deveria ser, afinal de contas, parte do processo da leitura, hábito que devemos estimular através do uso de frases mais curtas.

26. Cuidado com a hortografia, para não estrupar a língúa portuguêza.

27. Seja incisivo e coerente, ou não.

28. Não fique escrevendo (nem falando) no gerúndio. Você vai estar deixando seu texto pobre e estar causando ambigüidade, com certeza você vai estar deixando o conteúdo esquisito, vai estar ficando com a sensação de que as coisas ainda estão acontecendo. E como você vai estar lendo este texto, tenho certeza que você vai estar prestando atenção e vai estar repassando aos seus amigos, que vão estar entendendo e vão estar pensando em não estar falando desta maneira irritante.

29. Outra barbaridade que tu deves evitar chê, é usar muitas expressões que acabem por denunciar a região onde tu moras, carajo!… nada de mandar esse trem… vixi… entendeu bichinho?

30. Não permita que seu texto acabe por rimar, porque senão ninguém irá agüentar já que é insuportável o mesmo final escutar, o tempo todo sem parar.

dicas de português, Dicas para escrever corretamente, escrever melhor, Legal
dicas de português, Dicas para escrever corretamente, escrever melhor, Legal