INSÔÔNIA.com
out
14
2012

A história na verdade aconteceu com um amigo de um primo meu (Estou parecendo o Doug Funnie falando: “Eu tenho um amigo, mas não sou eu!” O.o É sério!)

Meu primo e uns amigos tinham um outro amigo que era meio caipirão… Não lembro o nome dele. Para não ficar escrevendo no texto “O amigo do meu primo”, vamos chamá-lo de Adauto (isso. O mesmo do Oioioi. Fala besteiras, é engraçado, mas vive fazendo merda).

Era aniversário do Adauto. Meu primo e meus amigos tiveram uma brilhante ideia de pregar uma peça nele. Isso mesmo, uma pegadinha do Mallandro para o Adauto.

Chegamos nele e falamos:
– Adauto, como hoje é seu aniversário, queremos te dar um presente. A gente vai te pagar uma puta para você se divertir. Topa?

O Adauto ficou todo feliz e topou na hora. Mas o que ele não sabia é que a puta não era bem uma GAROTA de programa. E sim um traveco, que um dos amigos do meu primo conhecia. Segundo o meu primo até o Ronaldo pegava, pois deixava dúvidas.

Perguntamos para o traveco se ela (ou ele) fazia programa. Ele disse que sim. Explicamos para ele que era aniversário do Adauto e que iriámos pagá-lo para pregar uma peça no Adauto. O traveco chegou a perguntar se o Adauto curtia travestis. Mas falamos para ele:

– Nossa intenção é pregar uma peça nele. Faz o seu. Tenta fazer de tudo para ele não desconfiar de nada. Apaga a luz, não deixa ele encostar em você… vamos ver até onde ele vai. Ele vai pensar que você é mulher, então você diz que só vai dar o cu e pronto. Tudo bem?

O traveco topou! Pagamos ele e mais tarde levamos o Adauto para seu encontro, o “melhor presente de aniversário de seus melhores amigos”. haha

Levamos o Adauto pro local de trabalho do Traveco. Ele não desconfiou de nada a princípio. Demos risada e fomos embora.
No dia seguinte, ansiosos fomos encontrar com o Adauto para saber as novidades…

– E aí, Adauto? Curtiu o presente?
Ele respondeu:
– Poxa, vocês são foda, hein!
– Hahaha, vai dizendo logo, vai. Você curtiu sim que eu sei. E aí? Comeu?
Aí vem a resposta surpreendente:
– Comi.
– Comeu??? Como assim??? Agora conta!

Ele contou o que aconteceu:
– Bem, vocês me deixaram lá… o traveco foi chegando em mim, pediu pra eu ficar quietinho e começou a tirar minha roupa. Ela apagou a luz e até aí eu não desconfiei de nada. Aí eu fui tentando pegar nela e ela escapava. Bem, ela me jogou na cama, começou a me chupar. Eu percebi que ela tirou a roupa, segurou minhas mãos pra trás e subiu em cima de mim. Ela disse que só ia fazer atrás naquele dia porque era mais apertado e mais gostoso. Bem, continuei sem desconfiar. Quando a gente estava lá no bem bom comecei a sentir uma cócega na minha barriga. Eu me desvencilhei dela, e acendi a luz assustado. O interruptor ficava na parede atrás de mim. Quando acendi a luz eu vi o pinto do traveco na minha barriga. Cara, era maior que o meu. Já estava quase entre os meus mamilos.

Bem, foi só risada. Aí meus primos e os amigos dele perguntaram:
– E aí? O que você fez?
– Ah, como eu já estava lá… só apaguei a luz e terminei o serviço, oras!
Poker face! O que era pra ser uma trollada acabou sendo um presente mesmo! kkkkkkkkkk

Bom, esse foi o “aconteceu com um amigo de um amigo meu”. Espero que tenham gostado!

.

*** História enviada pelo leitor Bruno Aveiro.

Envie também a sua história (ou a do seu amigo): [email protected]
Envie também a sua história (ou a do seu amigo): [email protected]
out
08
2012

Olá, essa história que vou contar-lhes agora, é digamos… constrangedora.

Certo dia, eu e mais dois amigos, recebemos um convite de uma amiga para uma “festa surpresa”. Até aí tudo bem, aceitamos o convite e combinamos de passar na casa dela para irmos todos juntos para a tão esperada festa.

Chegando na casa dessa minha amiga, ela começou a falar: “Vocês estão preparados para tudo? Tenho certeza que vão adorar.” Ficamos sem entender o que seria esse “tudo” e ela continuava a dizer: “Vocês vão ficar malucos lá, mas será uma experiência única. Está indo muitas mulheres e homens dispostos a tudo.” Foi aí que começamos a ficar empolgados. Ela perguntou até se a gente faria de tudo lá!? Respondemos: “Menos fio terra” e ela dava muita risada. Muita mesmo.

Então demos uma saída da casa dela para comprar camisinha, saímos todos felizes para comprar as benditas, eu estava tão empolgado que comprei 3 pacotes de camisinhas. Voltamos para a casa dela com as camisinhas e enfim, fomos para a “Festa”.

No caminho ela nos atiçava cada vez mais falando que seria inesquecível e que ela também participaria e que a gente tinha que se entregar sem vergonha…

Chegamos no local… Eu achei estranho era uma casinha zuada demais, mas até então achei que lá dentro teria as stripers gostosas e várias mulheres nua na piscina. Mas para a nossa surpresa quando abrimos o portão, fomos recebidos por um homem de terno e gravata, com a seguinte frase: “Vocês estão prontos para aceitar Jesus irmãos?” Meeeeeeeeeo Deeeeeeeeeeeeeus, que ódio que eu fiquei, entramos lá tinha mesmo muitas mulheres, mas não as que eu imaginava. Era uma espécie de culto, ficamos lá dentro com as camisinhas no bolso (que por sinal nunca as usei), e com uma cara de paisagem. Me senti mal pelo fato de ter pensado que ia transar com várias gatinhas, mas na verdade eu estava indo num encontro religioso.

Fomos embora antes daquilo acabar e voltamos para casa sem nenhum de nós três darmos uma única palavra um com o outro. Estávamos paralisados com o que tinha acontecido naquela noite. E hoje sou pastor e … Zuera! Mas foi a pior noite da minha vida! Decepção level 99.

ENVIE SUA HISTÓRIA: [email protected]
ENVIE SUA HISTÓRIA: [email protected]
out
01
2012

Era uma sexta-feira como todas as outras, eu e meu namorado fomos com uma amiga jantar e tomar umas cervejas. No decorrer da noite chegaram mais uns amigos que sugeriram ir pra outro bar que tinha na cidade, topamos e fomos todos pra lá. E eu já meio alta por causa das cervejas, assim que chegamos lá a cerveja era muito cara e entraram num acordo de tomar Whisky, acordo esse que juro não lembrar…

A noite indo, bebida vai e bebida vem, eu ficando mais bêbada ainda… comecei a provocar meu namorado dando uns beijos mais quentes, uns apertões na frente de todo mundo mesmo. O clima esquentou e fomos pra casa dos pais dele. Estavam todos dormindo (pra minha sorte) porque eu já estava muito bêbada.

Não sei como mas lembrei que antes de sair tinha equipado minha bolsa com meu kit safadeza – espartilho, cinta liga, meias 7/8, luvas, e aquela calcinha… tudo vermelho pra poder provocar bastante… chegamos no quarto dele falei que precisava ir pro banheiro e que era pra ele me esperar que eu já vinha.. fui com a intenção de me trocar…

Um conselho.. “Nunca queiram colocar espartilho quando de estiver bêbada,. não dá certo” !!!
Comecei pelo espartilho, ele eu consegui colocar certo (até hoje não sei como), na hora de colocar as meias, não conseguia me dobrar por causa da armação de ferro que tem no espartilho… com muito, mas muito custo mesmo consegui colocar as meias… e na hora de colocar a liga que foi o pior. Foram os 4 elásticos mais difíceis da minha vida… na hora que eu conseguia colocar um, o outro saía, coloquei o de uma perna na outra,  virou uma bagunça, o pior eh que bêbado começa a rir, eu comecei a chorar de rir no banheiro (e minha risada é super alta)..

Quando por fim consegui colocar tudo (e certo) fui pro quarto dele… e simplesmente encontrei ele dormindo na cama… dei um chacoalhão nele e ele acordou assustado.. kkkkkkk, mas na hora que viu o figurino, tudo ficou acordado e aproveitamos a noite.

Mas o pior foi que no outro dia ele me contou que os pais dele vieram perguntar porque eu estava trancada no banheiro da casa e rindo feito uma doida e ele dormindo no quarto… kkkkkkkkkkkkk… fiquei quase uma semana sem ir lá… kkkkkkkkkkkkk

Fato verídico e que lembrarei sempre que for colocar um espartilho..

 

 

ENVIE SUA HISTÓRIA: [email protected]
ENVIE SUA HISTÓRIA: [email protected]
anuncie
set
23
2012

Era o nosso aniversário de 3 anos de namoro e eu queria muito impressioná-lo com uma surpresa. Semanas antes de comemorarmos esta data, entrei na aula de pole dance, fiz 1 mês e pouco de aula, quase que todos os dias. Quis aprender de fato a dançar no pau. rs Meu namorado sempre dizia achar sexy. Então, quis aprender. Foi bem secreto as minhas aulas, ele não podia saber. Aprendi muito e confesso que na última semana estava expert no pau.

Chegou a semana do niver e começou a correria para planejar todos os mínimos detalhes do nosso dia. Fui num motel de luxo da cidade, que possuía o ferro de pole dance na suíte, e reservei o quarto para nós.

Combinei com meu primo (que é entregador), para nos levar um super café da manhã, que eu mesma preparei, lá no motel no dia seguinte. Eu e meu primo somos cúmplices e muito amigos, então não precisei ter vergonha de pedir isso á ele.

Bom, a cena do crime estava armada. O dia do niver chegou. Logo pela manhã liguei para o meu amor parabenizando-nos e dizendo que o amo muito, e disse que a noite queria comemorar com estilo, que tal uma noite no motel? Claro que ele topou! hihihi

Durante a tarde, corri no sexshop e fiz umas comprinhas: Lingerie vermelha, uns brinquedinhos, uma calcinha comestível, enfim, do jeito que meu safadão gosta (Tô ficando excitada escrevendo isso, pena que no final da história, todos vão broxar).

Chegou a noite e já de banho tomado, meu namorado veio me buscar. E lá vamos nós para o motel super style! Já começamos as besteirinhas na escada, ao subir para o quarto. Uma safadeza só. Tive que controlar a situação nesse momento, que não é de muito costume meu, porque se não já iámos dar a primeira ali. Puxei ele para o quarto, fiz toda a iluminação do ambiente, liguei o som e disse para ele ficar quieto alí na cama só observando…

E comecei todo o ritual de sensualização level mil, no pau. Os olhos dele brilhava e o corpo pegava fogo. rsrs a gente só não esperava que fosse acontecer o que aconteceu. É jovem, o ferro nos trollou. Num momento agitado em que subir no ferro, uma manobra de cabeça para baixo e de pernas abertas, o ferro se soltou. A merda do parafuso saiu e levei um tombo doloroso. O ferro caiu em cima de mim a já comecei a chorar ali mesmo. Uma mistura de vergonha, dor e raiva. Todo o meu plano e esforço foi por água abaixo. O clima acabou, meu namorado até tentou me deixar calma, mas não adiantou. Quis ir embora no mesmo momento.

Foi a maior vergonha da minha vida. Não tinha o que amenizasse aquele momento. Resultado: não comemoramos o nosso dia, gastei dinheiro atoa e fiquei sem ver meu namorado por 1 semana. Não conseguia olhar pra cara dele. A minha tentativa de sair da rotina falhou! Super FAIL level dois mil.

Pior foi meu primo que foi levar o café da manhã lá cedo e não encontrou ninguém… hahahaha Essa foi a minha triste história. Publica aí Gi.

 

ENVIE SUA HISTÓRIA: [email protected]
ENVIE SUA HISTÓRIA: [email protected]
set
14
2012

Bom se vocês acham que passou por tudo na vida, é porque nunca passou por uma situação tensa como a minha (se já, foram poucos).

Era um certo dia, todos animados com a excursão do colégio que ia ter e eu mais que ninguém, estava super ansiosa. Chegando no local, foi tudo uma beleza, todo mundo conheceu vários lugares da cidade, andamos de um lado para o outro e zoamos bastante. Era uma excursão religiosa e de jovens. E como toda excursão entre amigos da escola, sempre rola uma paquera durante. Eu já estava de olho num gatinho.

Deu uma certa hora, todo mundo juntou (a galera que eu fui no buzão), e fomos almoçar. Eu não quis comer, estava sem fome.
Ficamos a tarde toda no local, até que na caminhada de volta… FUDEU!

Bateu aquela dor de barriga. Sim dor de barriga. Só não me pergunte como, pq tbm não sei. Afinal nem comi nada no local. Mas tá né. Tive que ir caminhando até o buzão segurando a merda pra não descer.

Quando chego no ônibus, graças a Deus, a vontade de cagar passou! UFA!

Esperamos a galera toda chegar e lá vamos nós a caminho de volta para casa. E num é que veio a maldita vontade de usar o banheiro denovo? É, pois dessa vez infelizmente eu não conseguir segurar e saiu tudo. A dor era terrível, não aguentei.

Caguei na calça, foi tão rapido quando vi já era. Passei um aperto gente! Afinal o onibus estava cheio e o garoto que eu paquerava
estava lá dando bobeira para mim. A hora de embora seria o momento certo para dar uns pega nele. =/

Como eu faria isso cagada? Aquele fedô que surgiu dentro daquele ônibus…não tinha explicação. A minha sorte é que todos estavam pensando que era salgadinho fedido (aqueles que nossas mães falam que fede chulé e não bosta. Mas a galera achou que era).

Mas por outro lado eu perdi a chance do gatinho ficar perto de mim, quando ele aproximava, eu fingia que estava dormindo. Não podia de jeito nenhum deixar ele sentar do meu lado. Foi tenso!

Mas tivemos outras oportunidades depois. Hoje somos namorados e estamos há 2 anos juntos. Por incrível, nunca mais caguei nas calças. Essa foi a minha triste história.

 

A bosta que cheira chulé ou o salgadinho que cheira bosta???? kkkkkkkkkkkk
A bosta que cheira chulé ou o salgadinho que cheira bosta???? kkkkkkkkkkkk
set
06
2012

Tchanammmmmm… muitas novidades acontecendo por aqui. Pois bem, o quadro “Aconteceu Comigo” também está devolta! Leitores antigos sabem bem do que se trata. O quadro mais bombante de 2008/2009. Que foi até kibado na tv… e  por motivos maiores acabou acabando (what?!). Na época o blog tinha poucos acessos e a participação dos leitores, depois de um tempo, enfraqueceu.

Daí veio mais compromissos, a responsabilidade de criar coisas novas, faculdades e o escambal a quatro. Acabei ficando sem tempo de ler e corrigir as histórias que recebia.

Mas agora a porra vai ficar séria.Voltamos com tudo! Você já deve imaginar do que se trata o quadro. É nada mais que histórias engraçadas do povo! Todo mundo tem uma história pra contar. Um momento bizarro, uma situação constrangedora, um fato marcante, enfim, um acontecimento hilário que se você contar, poucos vão acreditar… mas foda-se, você sabe que foi verdade. haha

Então… O “Aconteceu Comigo” será um espaço reservado para você compartilhar a sua história. Toda semana irei postar a história de um leitor. Então já sabe, senta a bunda na cadeira, escreva a sua história e envie para o e-mail: [email protected].

E para comemorar a reestreia do quadro, já tenho uma história pra vocês! Divirtam-se!

 O fato aconteceu com a minha prima de Berrlândia/MG/Brasil. Posso garantir, nada aqui contado é ilusório ou aumentado.. (eu acho né, ainda nao acabei de escrever… se eu empolgar aviso no final hauhauahauhau).

Era um dia lindo e belo, um passeio em família. Meus tios foram para Uberlândia visitar a familia da Ingrid, e lá, num sabádo de manhã, foram todos passear no zoológico da cidade. Aqueles passeios de família, saca?

Ao chegar no zoológico, depois de visitar algumas jaulas, coincidiu da minha família presenciar o café da manhã dos jacarés. E vejam só: Eles comem pintinhos vivos. Sim! Os jacarés comem pintos todos os dias e você mal come um no final de semana. Viva com essa angústia.

Os tratadores entraram na jaula dos jacarés, soltaram os pintos lá e foram embora. Minutos depois, aquele bando de jacarés famintos começaram a sair do lago para ir a caça. Foi uma cena triste, minha família assistindo de camarote a pobre morte dos pintinhos, que piavam angustiadamente.

Minha prima, Ingrid, conhecida por amar loucamente os animais, sofreu mais que todo mundo. O passeio feliz em família, acabara ali. Quase todos os jacarés já estavam satisfeitos e de barriga cheia. Sobrou um único pintinho, que aliás já tinha sido alvo do último jacaré que estava indo em sua direção. E adivinha só? A louca da minha prima resolveu interferir. A Ingrid, não pensou duas vezes, pulou a cerca e invadiu a baia em prol da vida do pinto (gente, o que a minha família tem? me explica… hauhauahuahua arriscar a vida por um pinto. DE-US!! É sangue do meu sangue mesmo…) kkkkkkkkk

O pintinho piava mais alto a cada passo do jacaré em sua direção. E a minha prima correu para pegá-lo. O carnívoro faminto estava bem próximo. Daí você imagina o desespero da família. Minha tia começou a chorar e gritar: “INGRIDDDDDDD, MEU DEUS, VOLTA AQUI. SAI DAÍ…PELO AMOR DE DEUS” – véi, você tem que ouvir a história da boca da minha tia.. hauhauahahhauahua comédia demais!!!

Por proteção divina, ela conseguiu pegar o pinto sem ser lesada. Já pensou, perder um braço por um pinto? Sei la se é vantagem viu… tô em dúvida.

Com o pinto na mão e com a ajuda da minha família, ela conseguiu sair de lá.

Todos já calmos e sem acreditar na atitude da Ingrid, começaram a questionar: “E agora, o que fazer com o pinto?” , “Os tratadores vão ver e vão xingar” ,”Vai da BO na hora de sair do zoológico” …

Então minha gente, o bonito da história está por vir…

Na saída do zoológico, a Ingrid escondeu o pintinho dentro da jaqueta. Todos aflitos para sair, com medo do pinto piá e descobrirem o acontecido… eis que algo intrigante acontece: O pinto não deu um piu. Conseguiram sair sem deixar rastros e a minha prima o levou para casa.

Resultado: César Salvatório Escapatório Pinto (sim, o pinto foi batizado), hoje tem 9 meses de idade, é criado como animal de estimação e ama loucamente a minha prima.

Gente, o bicho sobe no sofá, assiste televisão e ataca quem aproxima da Ingrid. Uma linda e incrível história de amor!

E essa foi a história da minha prima de Berrrlândia! Sem aumentar nem iludir. Do jeitinho que a minha tia me contou. hahaha Desconsidere os erros de português, nem revi o texto. São 05:50 da manhã… vou dormir!!! Aguardo pelas histórias de vocês!!! Até!

ENVIE SUA HISTÓRIA: [email protected]
ENVIE SUA HISTÓRIA: [email protected]
mar
02
2011
Aconteceu Comigo* / Por: Coruja ás 14:30

Opa, e aí corujas, como vão?

Ontem passei por uma situação engraçada.

Entrei numa loja de produtos naturais procurando um tipo de sabonete específico pra minha pele com psoríase, o sabonete de barbatimão. Pelo menos pra mim é bom… Pedi o sabonete e fui muito bem atendido por uma mocinha feia que se mostrou muito simpática. Fui ao caixa e outra menina, adolescente com o uniforme da escola cobrou minha compra com um sorriso no rosto. Depois de pagar, quando ia saindo da loja, ouvi a menina dizer alguma coisa que eu não tinha entendido. Voltei achando que tinha esquecido alguma coisa e ela repetiu com toda a calma do mundo:
– Boa sorte com o sabonete. Espero que traga resultados.

Eu não tinha prestado atenção na boa educação da moça…

É, a gente se desacostuma com a educação. Numa selva de pedras como São Paulo (mas isso pode acontecer no Rio, Porto Alegre, Salvador, Aracaju, qualquer cidade grande) as pessoas se acostumam a andar sem olhar na cara de ninguém e, se não tomar cuidado, a gente vira verdadeiros selvagens urbanos. Nos acostumamos com vendedores mal humorados, motoristas violentos, pessoas briguentas e uma série de atitudes cheias de estupidez que acabam fazendo parte do nosso dia a dia.

Quando alguém resolve quebrar essa regra e dar um sorriso sem você ter feito nada de especial, você se assusta. Não estamos acostumados com gente educada. Nosso ouvido não tem o hábito de ouvir “obrigado”. Aí penso: quando foi que aprendemos a ser mal educados? Ou melhor: quando foi que desaprendemos a ser educados?

Penso que muito do stress que vivemos no dia a dia existe pelo simples fato de desaprendermos a ser cordiais. É mais fácil gritar um “sai da frente, porra!”, do que pedir licença a alguém que está no seu caminho. Pedidos de desculpas por um pisão no pé ou um esbarrão na rua ficam apenas nos encontros apaixonados da novela. O que custa dar “bom dia” ao motorista do ônibus, ou à tia da cantina da escola? Já parou pra pensar que um sorriso seu pode desarmar um bate-boca? Vai te cair uma mão se você se abaixar pra pegar uma caneta de outra pessoa que caiu perto de você na sala de aula? Nunca vi nenhum cara ficar menos macho por abrir a porta para uma mulher. Dar passagem, então, nunca trouxe nenhum ponto negativo. Se interrompeu o diálogo de alguém, é mais que sua obrigação pedir desculpas. Elogiar alguém que está bem vestido, seja tua colega de trabalho gostosa seja seu amigo do bar, não faz de você um gay (aliás, geralmente gays são muito educados…).

Ser bem educado é servir o outro. E perdemos o hábito de servir. Queremos apenas ser servidos. Isso seria  parte do nosso egoísmo urbano, talvez. Ser educado não mata ninguém. Ser mal educado te faz parecido com um animal selvagem. Pense nisso!

educação, mal educado, Weslley Talaveira
educação, mal educado, Weslley Talaveira
ago
14
2009

Depois de 5 meses sem postar esta seção, atendendo a vários e-mails, decidi voltar com o quadro. Por isso envie a sua história para o nosso e-mail. Assunto: ACONTECEU COMIGO. Selecionarei as mais engraçadas!! E escrevam certo… depois não reclama se te zuarem!!! 🙂

E para reestreiar o quadro, look em 2 histórias, enviadas por duas leitoras…

  • Lorena Duarte / Fortaleza – Ce

Sou Lorena Duarte, 14 anos, moro em Fortaleza, Ceara.

Este foi um caso bastante cômico dos vários que passei em minha vida. Era dia de Mais uma daquelas apresentações escolares sem nenhum fundamento educacional, tinha eu por obrigação dançar tango (apesar de nenhum talento fui forçada a me apresentar).

Haviam feito dois banheiros na escola, e há pouquíssimo tempo, a professora pediu-nos então que nos trocássemos neles, o meu grupo foi o primeiro a sair, sendo que os banheiros não tinha placas identificando entre masculino e feminino! E como com certeza vocês devem estar pensando, adivinha em qual eu entrei? NO BANHEIRO MASCULINO!

Ao contrário do que pensei, que seria interessante entrar no vestiário masculino e saber o que eles falam tive uma péssima experiência onde escutei o seguinte diálogo:

Vinicius= Car*aca veio! meu sapato caiu dentro da privada.
matheus= Mentira mano , deixa eu ver?

– nesse momento suponho que matheus tenha aberto a porta e batido em vinicius, por que ele começa a gritar: ah não agora a minha camiseta, putz e a privada tava meio suja de gozo, ECA!

Dentro do meu cômodo eu comecei a rir , só que ai me surgiu outro problema, eu havia entrado no banheiro masculino, então não poderia sair dali se nao ia virar motivo de bagunça deles também, vai que eu caio na privada também? rs  brincadeirinha

Por isso tive que esperar todo mundo sair do banheiro e cheguei lá, a professora deu o maior carão, mas tudo bem. Foi quando eu tive que descobrir que o som não estava rodando o cd, e fui obrigada a dançar sem som! Sem contar que tinha uma fumaça lá e que  todo mundo ficou tossindo, a gente quase não conseguiu tirar aquela nevua do auditório.

  • Bianca Lucia / São Paulo – SP

Uma vez, era meio-dia, lá tava eu, me arrumando pra i na escola.
Peguei e fui, e nesse dia eu tava tão atrasada que eu esqueci o absorvente.
Era o dia mais infernal da minha vida. No intervalo, veio o viado do Leonardo e falou: Seu short é assim mesmo?
Meu short era novo, e tava na época do rasgado e grudado. Tava com um shortinho, minimo, não chegava no joelho. Terminava na coxa, e ai na bunda tava tudo vermelho e eu nem vi.
Enfim, eu pensei q o FDP tava falando das partes rasgadas.
Eu respondi: Pq vocês ficam perguntando isso? Já é assim, já é rasgadão e grudado, naum ta nem pequeno nem velho.
O leo pergunto: Pq essa marca vermelha na bunda?
Sai correndo e minhas miga atras, mais daí a Laura me imprestou um absorvente ^^,
Eu fui zuada mto na escola, soq agora eu rasho dessa situação.

Envie a sua! [email protected]

Aconteceu Comigo*, histórias
Aconteceu Comigo*, histórias
abr
01
2009

Taí mais uma história de um de nossos leitores… Eu ri! 🙂

Meu nome é Willian, tenho 16 anos e irei contar a pior história que aconteceu comigo…

Mais ou menos uns 2 anos atrás quando eu ainda estudava no horário da manhã estava eu em casa á noite vendo televisão quando me lembro que tinha um trabalho de geografia que eu prescisava muito fazer, pois não sou um aluno desses tão aplicado e trabalhos me ajudam bastante. Retomando a história, estava eu vendo televisão quando me lembrei que deveria fazer o trabalho, eis então que peço o dinheiro pro meu pai e vou em rumo a Lan House para fazer e imprimir o maldito.
Chegando na Lan House vejo que ela estava lotada, mas fazer oque ? Ir pra casa e me fuder ? Não mesmo, decidi fica e esperar a fila.
O tempo foi passando e comecei a tentar uma forte vontade de fazer o Nº 2 [Cagar], mas tudo bem é algo normal que acontece até ás vezes na escola e sempre consegui segurar. [Detalhe: Eu só cago em casa. É meu trono]
A vontade foi apertando mais eu me trancava. Torcia a perna, dava umas andadas, arrumava um jeito, mas a vontade passava.
Quando eu cheguei em 2º da fila infelizmente não consegui mais segurar. Avisei pra mulher que ia embora e o pior foi que ela me conhecia e disse que não faltava nem mais 2 minutos pra vagar uma pra mim. É foda … Fiquei mais de 1 hora esperando pra ir pra casa cagar ? Pior que sim.
Acho que nunca tanta coisa passou pela minha cabeça em tão pouco tempo. Não pensei duas vezes e fui pra casa.
Tava andando devagarzinho, caminhando lentamente curtindo a brisa, tentando me distrair mas parecia que a vontade aumentava quanto mais perto de casa eu chegava.
Quanod cheguei mais ou menos uns 2 metros de distância do portão sai correndo, abrindo portão na maior velocidade pra chegar ao banheiro o mais rápido possível. E adivinha oque acontece ? Que Deus me perdoe, mas o Filho da Puta do meu tio te que vir aqui pra casa logo naquele justo dia ? Não é que o filho da mãe tava lá e ainda gritou … “Tô cagando”. Aê que fudeu a porra toda.
Bom resumindo… Não fiz trabalho, me caguei e sou zuado até hoje pelo meu tio!

Coitadinho!!! Ninguém merece! kkkkkkkkkkkkkk
E você? Tem alguma história engraçada que aconteceu com você?? Conte-nos!

Aconteceu Comigo*, blog
Aconteceu Comigo*, blog