INSÔÔNIA.com
As fêmeas de libélulas que simulam a própria morte para evitar machos indesejados
mar
06
2020
Curiosidades / Por: Gislaine Lima ás 14:45
libélulas

Recentemente, um estudo realizado na Universidade de Zurique, na Suiça, descobriu que as libéluas fêmeas (Aeshna juncea) simulam a própria morte para evitar machos indesejados.

As fêmeas se arriscam numa manobra perigosa, que consite em interromper o voo e se atirar no chão, para enganar os machos que tentam copular com elas.

O comportamento é comum nessa espécie, comumente encontrada na Europa, na América do Norte e na Ásia, devido a uma particularidade no que se refere ao acasalamento e ao comportamento dos machos.

libélulas

Os machos interceptam as fêmeas em pleno voo e uma cópula já basta para que haja fertilização. No entanto, eles, diferentemente dos de outras espécies de libéluas, não protegem as fêmeas depois, nem as acompanham até que estejam em ambiente seguro para colocar seus ovos.

Isso significa que elas podem ser interceptadas em seguida por outro macho e uma segunda cópula, quando os ovos já estão fertilizados, compromete todo o processo de reprodução e ainda reduz o tempo de vida da fêmea.

É aí que entra a estratégia descoberta pelo pesquisador Khelifa, que estuda as libélulas há 10 anos. Em seu estudo, ele observou 27 fêmeas se atirando ao chão ou se jogando em arbustos, fingindo-se de mortas. Entre essas, 21 conseguiram enganar os machos.

O pesquisador também teve a oportunidade de observar o que acontecia com as que não utilizavam o recurso teatral: todas as fêmeas que continuaram a voar após a primeira cópula, foram agarradas por vários machos durante o voo.

Em uma entrevista à New Scientist, Khelifa se disse surpreso na ocasião, uma vez que estudava libélulas há tanto tempo e desconhecia, até então, esse tipo de comportamento.

eu constantemente.
eu constantemente.
anuncie

Blizhost hospedagem de sites
Para comentar você tem que estar logado no facebook. Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade sua.

Deixe seu Comentário