INSÔÔNIA.com
ACONTECEU COMIGO #68
jul
21
2015

aconteceu-comigo1

E aí, povo, blz? Estou aqui para contar minha triste história do fim de semana.

– Solteiro há 2 meses, depois de um relacionamento de 3 anos (todos sabem que quando um animal fica muito tempo enjaulado comendo a mesma comida todo dia, quando vai para floresta quer carne fresca, independente do tipo), então resolvi conversar com uma menina que eu já havia dado uns beijos na época de escola, uma moça bonita, simpática, também recém-solteira e louca para uma foda sem compromisso, que era exatamente o meu objetivo.

Passado o momento da abordagem, chegou o grande momento, marcamos de nos encontrar e mal conversamos já começamos os preparativos para o coito, mão naquilo, aquilo na mão e tudo mais (isso tudo dentro de um celta minúsculo). Então fomos para um motel.

Eu, pobre que sou, fui em um baratinho, que era terrivelmente fedido e desagradável, passado por isso e com as narinas devidamente acostumadas com o cheiro do motel, comecei a tirar a roupa dela deixando somente a calcinha. Como bom jogador, nunca entro no campo sem beijar o gramado, e lá fui eu com o meu ritual, descendo a boca pela barriga. Conforme fui chegando mais perto do meu objetivo (colocar a língua nos grandes e pequenos lábios), comecei a sentir um cheiro forte, mesmo assim prossegui e comecei a tirar a calcinha, e aí a grande descoberta, sim, aquilo estava um mar de odor maligno, não tive nem coragem de colocar a boca, mas tudo bem, pinto não tem nariz.

Começamos o coito e de repente a menina diz uma das frases que os homens talvez mais gostariam de ouvir “FULANO, COLOCA NO MEU BRIOCO”. Sim, aquela doce, linda e simpática menina que beijei na escola já não existia mais, agora é uma mulher decidida que no primeiro encontro já libera o jatobá.

Eu como um homem que não nego um pedido desses, resolvi acatar as ordens da jovem gazeba e adentrei meu vergalhão no orifício anal dela (com camisinha). Estava lá, bombando fortemente aquela raba que certamente já fora fodida muitas vezes, quando de repente o inevitável acontece, a menina peida (até aí normal), porém não era um peidinho qualquer, era um senhor-peido-cheiro-de-merda. E então resolvi fazer a maior besteira que eu poderia ter pensado em fazer naquele dia, tirar a minha escalibur daquele brioco. Sim, o pior tinha acontecido, estava lá a camisinha cheia de merda, mas cheia mesmo, e não tinha acabado, quando ela percebeu que aquilo havia ocorrido, ela se contorceu toda e aí pareceu que eu arranquei o esfincter dela, além de ter merdiado todo o meu pau, ela estava agora começando a merdiar todo o lençol do motel (coitada da camareira).

Bom, eu que estava todo excitado com tal façanha de ter comido uma mina que fazia parte da minha adolescência, acabei com o pau mole, sujo de merda, vendo a menina ficar toda envergonhada dizendo que isso nunca tinha acontecido (aham…).

Conclusão, fui em um motel fedido, com uma buceta mais fedida ainda, sai com o pau fedido de merda, com o saco doendo, sem gozar e com uma péssima lembrança da menina.

Acontece, meus amigos! Abraços.

-Anonimo

Envie também a sua história: [email protected]
Envie também a sua história: [email protected]
anuncie

Blizhost hospedagem de sites
Para comentar você tem que estar logado no facebook. Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade sua.

Deixe seu Comentário