INSÔÔNIA.com
Aconteceu Comigo #37
abr
08
2013

O dia que eu perdi meu emprego, namorada, dignidade, vista e mais um pouco. Me chamo Jurismar (nome fictício, porém a história é real. Preferia que fosse o contrário, mas tudo bem). Tenho 20 anos e trabalhava na empresa sky. Era responsável por instalar as antenas e decodificador na casa das pessoas. Prestava assistência técnica essas coisas.

Era um emprego legal, gostava muito, não era cansativo nem nada. Cada dia conhecia uns clientes diferentes. Uns loucos, outras gostosas. Sem contar que ganhava café, bolo, cantadas de umas tia loucona, já cheguei até jogar mortal kombat com uma criançada louca. Além do mais, eu ganhava muito bem.Eu estava no céu, tinha uma linda namorada, que até hoje quando bebo com os amigos eu choro (dor de corno é foda, deve está dando pra outro uma hora dessa kkkkk ¬¬).

Enfim, era sexta-feira e eu estava acordando para mais um dia tranquilo de trabalho. Acordei oriçado este dia. Até que meu veio a cabeça um pensamento, que normalmente passa na cabeça de todos os homens (bem que eu poderia chegar na casa de alguma menina gostosa para instalar a TV e acontecer como nos filmes pornôs. Já fazem 2 anos que como a mesma mulher, poxa! kkkkkkkk.)

Voltei a realidade, me arrumei e fui trabalhar. Fui até a central, peguei a lista das casas que teria que visitar e fui. Na lista tinha 11 casas, geralmente são oito ou nove casas, no máximo dez. Como era sexta-feira eu pensei, “ah vou fazer só 10. Vou deixar uma para segunda-feira”, e fui fazer as instalações. Foi mais um dia normal tranquilo, com alguns suquinhos, bolachas etc.

Já tinha feito as dez casas e quando estava saindo da última casa, olhei minha prancheta e reparo que a casa que estava faltando, era nesse mesmo bairro. Portanto, como já estava ali perto, decidi fazer a casa 11. Ficar livre dessa porra logo. Chegando na casa uma menina muito gostosa me atende, lembrei na hora do pensamento que tive mais cedo e logo retomei novamente a realidade. Não adianta ficar sonhando com algo impossível de acontecer. E fui instalar a antena.

Terminado o serviço, desci de cima da casa e fui configurar o decodificador. E a gostosa estava no quarto ouvindo uns funk filhadaputa, e quando cheguei na sala para instalar o decodificador, ela também foi pra lá. Não pensei em nada, geralmente sempre fica algum dono da casa junto, sei lá deve ser medo de eu roubar algo ou quebrar.

Conversa vai conversa vem e finalmente termino a instalação. “Pronto, está instalado, se der algum problema você liga para a central, para pedir assistência técnica e diz que foi o técnico Jurismar que fez a instalação para você, que ela entra em contato comigo e eu volto aqui”. Quando eu disse isso, a guria me respondeu: “E se eu quiser que você volte aqui para me ajudar com um outro problema?”

O_________o Essa foi minha espontânea reação, dei uma risadinha e disse: “Não tem nenhum problema que eu não possa resolver”.
Rapaz, a novinha pega e me da um beijo saliente. Eu já planejava chegar em casa e homenageá-la no banheiro, de tão gostosa que era kkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Pensei que não sairia nada além dos beijos, até que, até queee…….. ela desce, abre minhas calças e começa a pagar um boquetinho. Minha nossa senhora, o arranque da jiromba foi mais veloz que de uma Ferrari. (Tô excitado só de contar isso para vocês).

E aconteceu de tudo lá. Já tinhámos praticado umas “45” posições do kama sutra em quase todos os móveis da casa. Até que ela ficou de quatro apoiando na mesa de centro na sala, com aquele rabo gigante empinado pra mim, e eu lá bombando, mandando aquele olhar 43 pro “blackhole”, como se eu estivesse o avisando que ele tb não será perdoado.

Quando de repente levanto a cabeça, e adivinha quem está nos olhando? É… isso mesmo, a mãe da desgramada, olhei direto no olho da miserável, foi a pior encarada da minha vida. A véia estava com sangue nos olhos. Foi como olhar dentro do olho do capeta. Nunca vi tanto ódio numa pessoa.

Aí começa as olhadas, olho pra gostosa, olho pra véia, olho pra gostosa e olho de novo para o capiroto e percebo que ela estava com uma chave de fenda na mão. A minha chave de fenda! E o pior aconteceu. No momento que vou olhar de novo pra novinha e pedir socorro, vejo uma chave de fenda voando direto no meu olho esquerdo. Pow!! Depois só vi sangue e mais sangue. Era grito da véia, grito da gostosa, grito meu, grito do cachorro (Sim, até o cachorro gritou). E eu alí desesperado querendo fugir e a filha da puta da velha, não satisfeita me tranca na casa e chama a polícia. Foi aí que descobri que a gostosa tinha 17 anos. 🙁 É, eu estava fudido, fudido de verdade.

A polícia me levou para o hospital primeiro. A chavada que levei me custou nada mais nada menos que 45% da minha visão do olho esquerdo. Depois do curativo, fomos todos para à delegacia. Nessas alturas já tinha perdido namorada, emprego, dignidade, visão, tesão, tudo! Menos a vontade de matar a disgramada da véia, claro. Pronto estava feito o BO de estrupo de incapaz.

A única sorte do dia (além de comer a novinha), foi que a veia conhecia a filha que tinha e ficou com dó de ter quase me deixado cego, e retirou o BO. Mas isso não mudou o fato de eu ter perdido o emprego, sujado minha carteira e ter perdido minha namorada. Vocês podem até não entender, mas eu gostava muito da minha namorada e ainda gosto. Mas a escolha foi minha, então foda-se. Bola pra frente né! =/

Moral da história: Não pense putaria antes de ir trabalhar, as palavras definitivamente tem poder e olha que eu nem disse nada, só pensei. kkkkkkkkk

Envie também a sua história (ou a do seu amigo): [email protected]
Envie também a sua história (ou a do seu amigo): [email protected]
anuncie

Blizhost hospedagem de sites
Para comentar você tem que estar logado no facebook. Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade sua.

Deixe seu Comentário