Selvagens urbanos! | Blog Insôônia
O melhor jogo online
Selvagens urbanos!
mar
02
2011
Aconteceu Comigo* / Por: Coruja ás 14:30

Opa, e aí corujas, como vão?

Ontem passei por uma situação engraçada.

Entrei numa loja de produtos naturais procurando um tipo de sabonete específico pra minha pele com psoríase, o sabonete de barbatimão. Pelo menos pra mim é bom… Pedi o sabonete e fui muito bem atendido por uma mocinha feia que se mostrou muito simpática. Fui ao caixa e outra menina, adolescente com o uniforme da escola cobrou minha compra com um sorriso no rosto. Depois de pagar, quando ia saindo da loja, ouvi a menina dizer alguma coisa que eu não tinha entendido. Voltei achando que tinha esquecido alguma coisa e ela repetiu com toda a calma do mundo:
– Boa sorte com o sabonete. Espero que traga resultados.

Eu não tinha prestado atenção na boa educação da moça…

É, a gente se desacostuma com a educação. Numa selva de pedras como São Paulo (mas isso pode acontecer no Rio, Porto Alegre, Salvador, Aracaju, qualquer cidade grande) as pessoas se acostumam a andar sem olhar na cara de ninguém e, se não tomar cuidado, a gente vira verdadeiros selvagens urbanos. Nos acostumamos com vendedores mal humorados, motoristas violentos, pessoas briguentas e uma série de atitudes cheias de estupidez que acabam fazendo parte do nosso dia a dia.

Quando alguém resolve quebrar essa regra e dar um sorriso sem você ter feito nada de especial, você se assusta. Não estamos acostumados com gente educada. Nosso ouvido não tem o hábito de ouvir “obrigado”. Aí penso: quando foi que aprendemos a ser mal educados? Ou melhor: quando foi que desaprendemos a ser educados?

Penso que muito do stress que vivemos no dia a dia existe pelo simples fato de desaprendermos a ser cordiais. É mais fácil gritar um “sai da frente, porra!”, do que pedir licença a alguém que está no seu caminho. Pedidos de desculpas por um pisão no pé ou um esbarrão na rua ficam apenas nos encontros apaixonados da novela. O que custa dar “bom dia” ao motorista do ônibus, ou à tia da cantina da escola? Já parou pra pensar que um sorriso seu pode desarmar um bate-boca? Vai te cair uma mão se você se abaixar pra pegar uma caneta de outra pessoa que caiu perto de você na sala de aula? Nunca vi nenhum cara ficar menos macho por abrir a porta para uma mulher. Dar passagem, então, nunca trouxe nenhum ponto negativo. Se interrompeu o diálogo de alguém, é mais que sua obrigação pedir desculpas. Elogiar alguém que está bem vestido, seja tua colega de trabalho gostosa seja seu amigo do bar, não faz de você um gay (aliás, geralmente gays são muito educados…).

Ser bem educado é servir o outro. E perdemos o hábito de servir. Queremos apenas ser servidos. Isso seria  parte do nosso egoísmo urbano, talvez. Ser educado não mata ninguém. Ser mal educado te faz parecido com um animal selvagem. Pense nisso!

Coruja
educação, mal educado, Weslley Talaveira
Coruja
Os comentários do blog são via facebook. Para comentar você tem que estar logado lá! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade sua.

Deixe seu Comentário

Todos os direitos reservados - 2016
Todos os direitos reservados - 2016