Peripécias de um motel #05 | Blog Insôônia
O melhor jogo online
Peripécias de um motel #05
jun
10
2011
Peripécias de um motel* / Por: Coruja ás 23:00

Oi corujinhas! Tudo bem com vocês?

Mais uma vez, meu post está atrasado! Semana dos namorados no meu ramo, é ferveção. O pessoal começa a comemorar desde segunda feira! Então fica super corrido pra mim! Mas antes tarde do que nunca né? Não ia deixar meus LINDOS leitores assíduos na mão!

Vamos ao que interessa?

Semana passada deixei 3 histórias para serem votadas:  Pamela o travesti brigão4 homens e um hortifrutiVanessão cadê o dinheiro?

Só posso dizer que essa foi a votação mais apertadinha (uii) até hoje! A vencedora por um volto de diferença foooooooooooiii:

Pamela, o travesti brigão

Gente antes de começar nosso ‘causo’ de hoje, gostaria de esclarecer uma coisinha! Nunca, em hipótese alguma citarei os homossexuais e travestis de maneira preconceituosa, se os cito aqui é por que o fato aconteceu com eles, assim como poderia ter acontecido com homem, mulher, branco, negro, amarelo, baixo, alto, gordo , magro, bissexual, trissexual (rsrs) por aí vai! Ok? Estamos conversados?

O caso de hoje aconteceu em uma madrugada de um fim de semana bem movimentado. Por volta das 2:00 da manhã, aluguei uma suíte para dois homens. Logo atrás chegou um carro com uma pessoa sozinha. (que na hora não consegui distinguir o sexo, pois a mesma quase nem abriu o vidro para pegar a chave!)

Abri o portão, e o carro foi seguindo seu curso. Do nada o carro parou em frente a garagem do primeiro apartamento. Coincidentemente, esse era o apartamento que eu havia alugado para o carro anterior… É não foi tanta coincidência assim.

Saiu do carro, um travesti – bombado. Com uns 2 metros de altura com braços e pernas enormes! Ele vestia uma blusinha de alcinha roxa toda apertadinha, uma calça de abrigo cinza, havaianas no pé, e no cabelo um lenço colocado tipo bandana. Na mão a pessoa portava um pedaço de madeira, de mais um menos 1 metro.

Assim que ela ( ele, sei lá…) fechou a porta do carro foi direto para a garagem do apartamento, levantou o toldo e foi com tudo dando pauladas em um dos rapazes da suíte.  Descontrolada, a moça gritava “Não acredito que você está fazendo isso comigo.”  – e    dá-lhe paulada. “Você me tirou da rua pra que?” – e mais paulada no rapaz.

Nisso, o motorista do carro tentou tirar o bombado de cima do dele, foi aí que ela ficou com mais ódio. “Quem é você pra colocar a mão em mim? Você é o culpado! Você que foi atrás dele.” Nesse momento, ao invés de dar paulada no motorista do carro, Pâmela descontou sua ira no carro dele. Distribuiu pauladas na lateral direita do carro, deixando vários amassados.

Foi incrível tudo isso aconteceu em fração se segundos.

Antes que a Pâmela matasse alguém á pauladas, chamei o segurança. Ele foi correndo em direção ao barraco, assim que o travesti descontrolado o viu já ameaçou. “Se você chegar perto de mim, eu te matooooo…”. Bundão com ele só, o segurança disse era melhor eu chamar polícia.

Enquanto isso na suíte, Pâmela tocava o terror. Gritava, xingava, esbravejava e principalmente distribuía pauladas.

Nisso eu já tinha me trancado na recepção, com medo de alguma paulada sobrar pra mim. Rsrs Só ficava observando da janela de saída. Rsrs

Em um momento de distração, o rapaz que era o motivo da raiva dela correu e se trancou no apartamento. O motorista entrou no carro e se mandou. Ela batia na porta da suíte e gritava: “Sai daí seu ordinário eu vou te pegar, uma hora você vai ter que sair daí…”  Bem devagar e com um certo medo uma camareira tentou a  aproximação: “Moça, fica calma. Quer sentar aqui na cozinha?”   A Pâmela olhou pra senhora, e disse: “Eu não quero ficar calma, o que vai me acalmar é matar aquele desgraçado!” A camareira para tentar acalma-la, passava a mão em seus grandes braços e falava: “Calma Pâmela, fica calminha. Quer um chá?”

Ela então resolveu aceitar. Foi a cozinha e ao sentar começou a explicar indignada: Disse que o rapaz que ela queria bater era seu namorado. E que uma pessoa conhecida havia ligado para ela e contou que ele estava fazendo programa. Ela resolveu conferir e acabou pegando ele bem na hora que estava entrando em um carro. Seguiu eles, e foi parar lá no Motel. Pâmela tirou a aliança de compromisso do dedo, jogou no pátio e foi em direção a suíte. Pegou novamente o pedaço de pau, e começou a bater na fechadura da porta. Quando ela percebeu que não ia dar certo resolveu chutá-la . Depois de alguns chutes ela conseguiu abrir. (O rapaz havia trancado a porta somente no trinco.)

Assim que ela entrou, foi direto em cima dele. Ele saiu correndo em direção as suítes do fundo. Foi aí que baixou uma mistura de Zé do Pulao com Maria Zeferina na Pâmela e ela conseguiu alcança – lo.

Foi então que ela largou o pedaço de madeira, e resolveu ir pra cima dele no tapa mesmo. Eu só via de longe aquele homem enorme, de sobrancelhas feitas e lenço na cabeça desferir socos no rapaz. Até que Pâmela parou, e gentilmente começou arrastar o homem pelos cabelos até o carro. Abriu a porta de trás e o jogou lá dentro, dizendo que iam terminar a ‘conversa’ em casa. Coitado do rapaz, será que ele sobreviveu a essa DR?

Antes de ela dar partida no carro, eu já abri o portão para que ela saísse. Não queria nem olhar muito pra Pâmela…vai que ele não fosse com a minha cara, e resolvesse partir pra mim com um pedaço de pau! Rsrs

Assim que fechei o portão, pensei comigo “Ufaaa, o pior já passou!” Aí sim meus amigos, fomos surpreendidos novamente! Vocês lembram que o namorado da Pâmela estava com um rapaz, que se mandou de medo dela?

Então, mais ou menos uns 30min que eles haviam indo embora ele voltou alegando que havia sido roubado dentro do Motel. Fez a maior ceninha, dizendo que era advogado, que iria chamar a polícia, processar o Motel, me processar e por aí vai… Foi até o apartamento, revirou tudo e não achou a carteira. Eu disse pra ele que provavelmente ele deveria ter sido roubado por um dos dois (Pâmela ou seu namorado), pois isso acontece com alguma freqüência. (Não que todos os travestis façam isso gente, mais alguns fazem. Cada profissão tem seus maus profissionais! Rsrs)

Ele não queria admitir que havia sido roubado por algum deles, disse que fomos nós, que nós somos passa-fome. Hahaha

Então ele resolveu que ia na delegacia fazer um B.O e posteriormente iniciar um processo. Chamei a gerência (que estava em outra unidade, e não viu nada do bafafá) que por sinal, na época a era minha mãe. Assim que o nervosinho a viu, começou a soltar a mesma ladainha!

A encarregada concordou, disse que ia com ele fazer o B.O e que seria ótimo ele abrir um processo. Assim a família dele iria saber onde ele foi roubado, e com quem ele estava no motel. Na hora ele parou, pensou, enfiou o rabinho entre as pernas e foi embora!!! (Mother Fuck Yeah! rsrs)

Assim se resumiu a minha noite. Pancadaria, roubo e muita diversão! Rsrs

É isso aí gente, espero que tenham gostado!!!

Pra semana que vem o que vai ser?

– O negão e a anãzinha

– Festa no apê

– Pocket Stories  – várias histórias curtas!

Aline Leitte –[email protected]_leitte

Coruja
coisas q acontecem em moteis
Coruja
Os comentários do blog são via facebook. Para comentar você tem que estar logado lá! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade sua.

Deixe seu Comentário

Todos os direitos reservados - 2016
Todos os direitos reservados - 2016