Peripécias de um motel #03 | Blog Insôônia
O melhor jogo online
Peripécias de um motel #03
maio
26
2011

Oi corujada! Como andam as coisas com vocês?

O post da semana passada foi bem polemico heim? Muita gente gostou, algumas pessoas duvidaram da veracidade do fato, alguns corrigiram meus grotescos erros de ‘portugueis’, vários seguidores novos! ( como assim ainda não me segue? @aline_leitte) …  mas posso falar? Tô adorando postar aqui toda semana! (Valeeeuuu Giii *-*), e adorando muito o retorno de vocês! Não canso de dizer que os leitores do Insoonia.com são uns LINDOS!  Gostaria de falar também que, se a história que você votou não foi a postada, fique tranks! Não vão faltar oportunidades de elas serem votadas novamente! =)

Mããããããs, chega de blá – blá – blá chega de nhé – nhé – nhé…vamos ao que interessa!

Semana passada deixei 3 histórias para serem votadas! Pâmela, o travesti brigão; Noiva em fúria e Vanessão, cadê o dinheiro?

A vencedora (quase por unanimidade) fooooi:

 

NOIVA EM FÚRIA!

Como todas as histórias aqui contadas, tudo começa com um dia calmo de trabalho. Clientes entrando, clientes saindo tudo corria normalmente. No Motel, a gente tem o hábito de comentar que se está tudo muito calmo, alguma coisa vai acontecer. Nesse serviço não tem rotina! Rsrs

Eis que chega um carro, de cor amarelo-ovo. Pediu um box. (Anteriormente funcionávamos também como Drive-in) Passei o nº, e ela entrou.

Assim que o carro entrou percebi que no banco de trás do carro havia pendurado uma capa (daquelas de quando se aluga um vestido de festa ou um terno), e mais algumas banco.  Fiquei observando o carro descer vagarosamente, parecia que ela estava procurando alguma coisa. E ela estava procurando mesmo.

A mulher parou o carro no começo do pátio. Pensei que ela fosse querer alguma informação, ou até mesmo perguntar onde ficava o box que lhe foi dado. Ela desceu do carro e foi indo no rumo do 1º box. Perguntei a ela, se ela precisava de alguma coisa. Curta de grossa ela ,me respondeu: “ Preciso sim, do meu noivo.”

Nisso ela levantou o toldo e gritou “Gabriel, eu sei que você está aqui…”  Mais o tal do Gabriel não estava! Lá se encontrava um casal, em pleno ato. Mais que correndo, pedi desculpa pro casal e abaixei novamente o toldo. Não contente a moça, desceu e levantou o toldo do outro box. Novamente não era seu noivo. Descontrolada, a mulher saiu correndo, levantando TODOS os toldos do box, e gritando loucamente: “Gabriel, eu sei que você está aqui. Você não me engana. Eu te vi entrar aqui Gabriel.”

Enquanto ela descia abrindo os toldos, eu descia atrás fechando e pedindo desculpa aos clientes.

Foi uma situação completamente embaraçosa. Eu vi clientes de todas as maneiras dentro dos carros… #tenso

Tentei pedir pra ela não abrir os toldos, explicando que havia clientes dentro, que eles pagavam pra ter privacidade, e não para serem incomodados. Com muita graça e elegância, a mulher me respondeu: “Sai daqui se não eu te quebro”.

Fiquei bege, Barbie na caixa, passada! Como assim a louca queria me dar uns tabefes?

Disse pra ela que se ela fizesse isso, seria obrigada a chamar a viatura.

Ela me mandou fazer o que quisesse, e continuou a abrir os toldos.

Eu não sabia o que fazer. Tinha uma mulher completamente descontrolada, abrindo todos os toldos onde os clientes estavam em pleno ato de fornicação (rs), gritando feito louca e ainda por cima querendo me bater. Não sabia se eu ria, se eu chorava, se eu batia nela, se eu chamava a viatura ou se eu saia gritando:” Gabriel, cadê você? Vem cá seu lazarento!”.

Continuei a correr atrás dela, fechando os toldos. Então após quase ter aberto todos os toldos, ao olhar pela fresta de um dos últimos ela exclama: “ACHEI.” Pensei comigo: “Agora vai dar merda!”

Ela levantou o toldo e correu pra dentro do box. Fui correndo atrás, pra tentar impedi-la de entrar. Tarde demais…

Deparo-me com uma mulher deitada no capô do carro, de pernas abertas. O rapaz devia estar observando alguma coisa lá, pois estava com a cabeça entre elas!

A moça então vai para o lado do rapaz pega ele por trás (pela gola da camisa) e empurra ele pro chão (aquele de pedrinhas) e começa a chutar e gritar. “Seu filho da puta, como você fez isso comigo. Eu não acredito.” A mulher que estava com ele entrou no carro, ao perceber isso a traída foi atrás dela, a tirou  pelos cabelos de dentro do carro e começou a bater e gritar: “Sua vagabunda, vocês dois juntos. Não acredito. Não acredito. Você é minha amiga, minha madrinha.”

Heim? Madrinha? Hã?

Saí pra chamar o segurança que fica do lado de fora. Nisso a mulher subiu correndo e foi até o carro amarelo- ovo pegou aquela capa e abriu. Dentro tinha o seu  VESTIDO DE NOIVA.  Ela voltou a descer pro box, gritando: “Você quer ele vadia? Agora é você quem vai casar com ele. Você vai engolir esse vestido.”  A amante do tal do Gabriel ao ouvir isso saiu correndo e se escondeu dentro de um banheiro, então ela decidiu fazer ele mesmo comer Foi pra cima dele e esfregava o vestido na cara dele.

Obs¹: Tinha duas pessoas em cima da mulher, para tentar conte-la!!!

Obs²: Assim que os clientes ouviram gritaria, deixaram o que estavam fazendo nas suítes/box e foram pra fora para ver o bafão!

Logo que conseguimos tirar a mulher de cima dele, ela jogou o vestido no chão, pisou com os pés em uma parte e puxou a outra parte com  a mão. Aos poucos ela foi picotando o vestido. O noivo-traidor não fazia nada. Não sei se ele estava aliviado por não casar com ela, ou envergonhado/arrependido.

Ela largou os restos do vestido, e novamente foi para o carro.

Pensei comigo “Agora acabou!”.

Que nada, a mulher estava com a corda toda. Pegou mais algumas capas, abriu e jogou tudo no chão. Deu pra ver que tinha uns 3 vestidos. E um terno. Ela começou a acabar com tudo, da mesma forma com que acabou com o vestido.

Enquanto ela destruía as roupas, a amante entrou no carro junto com o noivo da moça. Aproveitaram que o portão estava aberto, e foram embora. A noiva-traida não percebeu e continuava lá imitando o Sr. Madruga, pulando em cima das roupas!

Fui até ela, contar que os dois haviam ido embora. Ela desabou no chão e começou a chorar feito criança. (Apesar de ela ter quase me agredido, fiquei com dó) Começou a me explicar que o casamento dela estava marcado para o dia seguinte. Que ela namorava fazia 11 anos, e que o casamento estava sendo pago há pelo ao menos 2 anos. A amante dele era sua ‘melhor amiga’, que seria também sua madrinha de casamento. Depois de dar a ela um copo d’água ela foi embora, prometendo matar os dois!

Foi um Deus-nos-acuda!

A pessoa estava completamente descontrolada! O complicado depois, foi explicar para os clientes quem era a louca que levantou os toldos!!!  =)

Bom corujinhas é isso!

Lembrando que tudo que é contado aqui em 100% verdade!

Claro que tem os que não acreditam né, mas fazer o que! Essas pessoas não vão acreditar então se eu contar que hoje, tinha um casal em uma suíte com 2 cachorrinhos da raça Maltês dentro! E assim que a camareira levou o café da manhã, o Sr. que estava lá abriu a porta e os dois saíram correndo atrás dela! Rsrsr

Votem aê galera!!!

– Os três metaleiros

– O Negão e a Anãzinha

– A festa no Apê!

Beijos, até quarta!

 

Os comentários do blog são via facebook. Para comentar você tem que estar logado lá! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade sua.

Deixe seu Comentário

Todos os direitos reservados - 2016
Todos os direitos reservados - 2016