Um belo dia eu e meu namorado (que atualmente é meu marido) decidimos comer um lanche em um trailer de uma amiga nossa.
Quando eu fiz o meu pedido, ele me puxou de canto e disse:
- Peça o lanche sem a maionese.
Perguntei o porque? E ele respondeu:
- A maionese dela é caseira , e pode fazer mal.
Eu como sempre fui do contra , pedi meu lanche com muuuuuuuuita maionese. Comemos que por sinal estava uma delícia, e fomos embora para casa dele, afinal era final de semana que para gente significava fazer um amorzinho (rsrs).

Fizemos (beeem feito) e cada um virou para seu canto e dormiu.
Quando foi de madrugada , começou a dar uma puuuuuta dor de barriga , daquelas que se pensar já cagou. Eu comecei a suar frio, mas não queria estrear o banheiro dele logo com essa sinfonia de Bethoven. Esperei, esperei mais um pouco a dita cuja dor passar, quando me dei por vencida fui ao banheiro, era de madrugada e não dava pra pedir pra ele me levar embora.

Quando sentei no vazo, pensei: – Ah que se exploda, são 4 da manha e ninguém tá acordado para ouvir. Me libertei de todo o maaaal que estava dentro de mim com direito ao filme das ”As Branquelas” passando em minha mente a cada som que saía do vaso. Quando finalmente terminei e me senti aliviada, passei uma água no rosto e voltei para o quarto.

Quando abri a porta meu namorado com a maior cara de santo, me perguntou se estava tudo bem. Ele tinha acordado e viu que eu não estava na cama. Como ele tinha me dito para não comer maionese e eu não quis escutá-lo, disse que tinha ido fazer xixi, apenas.

Os anos se passaram, eu me esqueci desse dia épico em minha vida, quando um belo dia em uma roda de amigos me cai esse assunto e meu querido marido fala para toda galera:

- Ah que nem o dia que ela comeu lanche com maionese caseira e ficou sentada no vaso horas que nem uma rainha e eu no quarto rindo a cada barulho que saía!! ¬¬

Moral da historia: Nunca coma maionese caseira, e se um dia acontecer isso com vc, não case com essa pessoa, porque é muito provável que ela tenha ouvido tudo (rsrs)

COMENTÁRIO(S)